Mercado recebe bem 1ª parte do depoimento de Dirceu - WSCOM

menu

Economia & Negócios

02/08/2005


Mercado recebe bem 1ª parte

O dólar encerrou em baixa nesta terça-feira, a R$ 2,340, atento a ingressos de recursos e com a avaliação inicial de que o depoimento do deputado José Dirceu (PT-SP) não deve aprofundar a turbulência política.

Em um dia de poucos negócios devido à cautela dos investidores com o front político, ingressos de recursos contribuíram para que o dólar recuasse 1,10%.

“O fluxo de recursos, os superávits (comerciais) têm colocado esse dólar para baixo, é o que está fazendo a diferença no mercado”, apontou José Roberto Carreira, gerente de câmbio da corretora Novação.

O depoimento do ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu ao Conselho de Ética, marcado para as 15h00, iniciou-se às 15h33.

Em suas primeiras palavras, Dirceu afirmou que não irá renunciar ao seu mandato de deputado e que pretende lutar em defesa de sua honra. Ele negou categoricamente ser responsável pelo “mensalão” –referindo-se ao suposto esquema de compra de votos de parlamentares.

O operador de câmbio da Corretora Didier Levy Júlio Vogeler disse ainda que a ausência de informações de peso no início do depoimento de Dirceu contribuiu para que o mercado ficasse mais tranquilo perto do fechamento.

A expectativa nas mesas de câmbio durante a manhã era de que Dirceu pudesse renunciar a seu mandato, assim como outros deputados envolvidos nas denúncias, depois que o presidente do PL, Valdemar Costa Neto (SP), renunciou ao seu mandato de deputado na segunda-feira.

“O mercado reagiu bem à renúncia do Valdemar, acho que se houvesse mais renúncias, o dólar cairia muito mais”, afirmou o gerente de câmbio de um banco estrangeiro.

No front externo, a leve valorização do euro em relação ao dólar e a performance positiva dos títulos da dívida externa brasileira favoreceram a apreciação do real, disseram analistas.

Expectativa por lucros puxa Bovespa

A Bolsa de Valores de São Paulo fechou em alta nesta terça-feira, impulsionada pelo depoimento do ex-ministro José Dirceu, que protegeu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva do escândalo político. A expectativa positiva em torno de resultados trimestrais também ajudou.

O depoimentdo do deputado no Conselho de Ética da Câmara ainda não havia acabado quando a bolsa paulista fechou. O mercado aguardava com receio o embate entre Dirceu e Roberto Jefferson, responsável pelas acusações de que o PT pagou mesada a parlamentares em troca de apoio no Congresso.

Segundo dados prelimnares, o Ibovespa encerrou com valorização de 1,84%, a 26.782 pontos. O volume financeiro ficou em R$ 1,4 bilhão. Entre os destaques do dia ficaram os papéis do Unibanco e do Bradesco, com altas de 5,86% e 4,21%, respectivamente, impulsionados por apostas na divulgação de bons resultados na semana que vem.

Braskem, que anuncia o balanço do trimestre na quarta-feira, também se sobressaiu, com ganho de 6,84%.

Notícias relacionadas