Médicos de JP continuam em greve; paralisação pode abranger o estado - WSCOM

menu

Paraíba

18/04/2011


Greve dos médicos deve atingir o Estado

Alerta

Foto: autor desconhecido.

A situação das pessoas que dependem do atendimento médico municipal continua crítica. Apesar da intervenção do Ministério Público, médicos e Secretaria de Saúde de João Pessoa não chegaram a um acordo. Para piorar o quadro, o sindicato da categoria revelou que existe a probabilidade de que os médicos que atuam da rede estadual também entrem em greve.

Agora pela manhã, representantes do Sindicato dos Médicos da Paraíba (Simed/PB) realizam uma mobilização em frente ao Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, onde serão reivindicadas melhores condições de trabalho e na remuneração da categoria.

“Já estamos sabendo que 30 médicos entregaram os seus cargos no interior do estado. Para debater a situação da categoria com relação ao Governo Estadual, iremos realizar uma assembleia no dia 28 de abril”, destacou Tarcísio Campos, presidente do Simed/PB.

João Pessoa

A greve dos médicos do município de João Pessoa chega em seu 13º dia, e a categoria aguarda uma resposta da Secretaria de Saúde. Na última quina-feira, 16, representantes do sindicato receberam do município uma proposta com apenas um dos seis itens acordados durante uma reunião com o Ministério Público.

Em resposta, o Simed/PB encaminhou um novo ofício para a Secretaria da Saúde reivindicando a inclusão dos demais pontos: direito a receber as férias com remuneração integral; direito a receber a licença prêmio remuneração integral; direito a remuneração integral quando de licença de saúde; GDP fixa extendida para todos os médicos da rede municipal; e nova mesa de negociação na primeira quinzena de Janeiro de 2012. Até a manhã desta segunda, 18, a Prefeitura não tinha enviado para a categoria a resposta desde último ofício.

De acordo com a assessoria do sindicato, “como a proposta não foi apresentada conforme acordo no MP, a greve fica mantida, garantindo o que determinou a Dra. Juiza Maria Guedes: 50% do efetivo dos médicos para atender as urgências e emergências”.

Sobre o atendimento à população, o Simed/PB informou através de nota:

Estamos aguardando as escalas das unidades de saúde da SMS, já solicitadas à secretária de saúde do município, para podermos fazer as escalas da greve; este oficio foi enviado dia 11 de abril e ainda não obtivemos respostas até o momento.

Igualmente, informamos que estamos recebendo várias denúncias de medicamentos vencidos dentro das unidades da SMS e falta de material adequado, onde comunicaremos ao MP para devidas providências.

Notícias relacionadas