Médico paraibano quase assumiu o Ministério da Saúde; saiba quem é - WSCOM

menu

Política

24/11/2018


Médico paraibano quase assumiu o Ministério da Saúde; saiba quem é

Marcelo Queiroga teve o seu nome ventilado para fazer parte do governo Bolsonaro

Imagem: Médico Cardiologista Marcelo Queiroga

Não foi dessa vez. O paraibano Marcelo Queiroga teve o seu nome ventilado para fazer parte do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). O médico cardiologista assumiria a pasta do Ministério da Saúde, uma das mais importantes do governo Bolsonaro. 

Após sofrer pressão da frente parlamentar da saúde, por meio da deputada Carmen Zanotto (PPS-SC), Bolsonaro acabou anunciando o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) como o novo ministro da Saúde a partir de sua posse em 1º de janeiro de 2019.

Queiroga chegou a negar a indicação, contradizendo a imprensa sobre o seu nome ter sido cotado para comandar a pasta, mas garantiu que se sentiu lisonjeado e agradeceu pela lembrança.

“Ouvi na imprensa que meu nome estava sendo considerado: uma honra imensa, mas o momento é de união em torno do novo governo do presidente Jair Bolsonaro e de apoio ao ministro Henrique Mandetta”, disse Marcelo.

A informação partiu da Globo News que citou o nome do cardiologista paraibano como cogitado para assumir a pasta do Ministério da Saúde. Em contato direto com a redação do Portal WSCOM, o deputado federal eleito, Julian Lemos (PSL), negou que tenha ocorrido qualquer tipo de indicação de Marcelo Queiroga. “Não faz sentido algum”, disse Julian.

Participante da campanha presidencial na Paraíba, ao lado do deputado federal eleito Julian Lemos, o médico foi um defensor nato das propostas de Bolsonaro para o Brasil. Ele também foi investigado para o cargo pela Agência Brasileira de Inteligência, a qual citou a conduta ilibada e a sua excelência profissional.

Marcelo Queiroga já havia recebido anteriormente o reconhecimento da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), que o homenageou com a Medalha Cidade de João Pessoa, em propositura feita pela vereadora Raíssa Lacerda (PSD).


Por Redação
Portal WSCOM