Marta Suplicy se defende de acusações no Senado - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

21/03/2006


Marta Suplicy se defende de

A ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy deve se defender nesta terça-feira em sessão da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do Senado das denúncias de irregularidades em sua gestão, como improbidade administrativa, crime de responsabilidade e descumprimento do código penal.

Marta terá de explicar por que não pediu autorização da Câmara dos Vereadores e do Ministério da Fazenda para a contratação do que os senadores consideraram um empréstimo adicional para o Reluz (Programa Nacional de Iluminação Pública Eficiente) em 2004.

A comissão aprovou, no final do ano passado, um parecer que pedia o envio de documentos que apontariam indícios de crime cometidos pela ex-prefeita ao Ministério Público.

O texto seguiria para o plenário do Senado, mas por um acordo com a oposição, o documento não foi remetido em troca de explicações públicas à comissão pela ex-prefeita.

Se o documento for aprovado pelo Senado, a Prefeitura de São Paulo não poderá captar recursos em acordos internacionais e a ex-prefeita corre o risco de tornar-se inelegível.

À época, a assessoria da prefeita divulgou nota em que informava que a contratação de recursos adicionais para o programa demandava apenas “dar conhecimento” ao Ministério da Fazenda por meio de ofício.

Além disso, Marta Suplicy afirmou, por intermédio da assessoria, que o contrato teria gerado uma economia da ordem de R$ 42 milhões ao ano, o que atenderia “ao interesse público, a necessidade de economia no gasto, a letra e a filosofia da Lei de Responsabilidade Fiscal”.

Notícias relacionadas