Maranhão anuncia R$ 1,8 milhão de investimentos em Pedra Lavrada - WSCOM

menu

Paraíba

27/07/2009


Maranhão anuncia R$ 1,8 milhão

A cidade de Pedra Lavrada vai receber R$ 1,8 milhão para áreas de saúde, educação e habitação. Segundo o governador José Maranhão (PMDB), serão aplicados R$ 370 mil para manutenção do hospital Antônio Cabral.

Os recursos no valor de R$ 700 mil foram destinados para reformas das escolas Francisco Ferreira e Graciliano Fontins e do ginásio de esportes. O governador firmou um convênio com a prefeitura de Pedra lavrada para construção de 34 casas habitacionais. O restante do dinheiro será aplicado na aquisição de equipamentos para ampliação da produtividade dos garimpeiros que trabalham na extração de minérios.

Acompanhado do vice-governador, Luciano Cartaxo (PT), Maranhão participou das festividades, que reuniu cerca de 500 garimpeiros das regiões do Curimataú e do Seridó paraibano e assinou as ordens de serviços. Na ocasião, ele ressaltou a importância das obras que serão realizadas nos próximos meses e da necessidade de aumentar a produtividade dos garimpos, já que a extração de minérios é a maior fonte de economia e geração de empregos para o município de Pedra Lavrada e das cidades circunvizinhas.

Maranhão assinou as ordens de serviços e o convênio para construção das casas em parceria com a prefeitura. Durante seu discurso, o governador fez questão de reafirmar o compromisso do Estado com o desenvolvimento econômico e social da região. “Os convênios assinados foram para garantir qualidade de vida para os habitantes de Pedra Lavrada e trazer mais empregos e produção para o município”, disse.

O prefeito de Pedra Lavrada, José Antônio Guedes, falou da satisfação de receber o governador e das obras que serão realizadas pelo governo do Estado. “A cidade está em festa e os recursos anunciados são de extrema importância para o desenvolvimento social. Serão comprados equipamentos para os garimpeiros, e agora os trabalhadores poderão transformar o minério bruto em pó, facilitando a sua comercialização”, acrescentou.

Na região do Curimataú e Seridó, são extraídos caulins, feldspatos, filitos, quartzo, mica, coreto, argila, gipso, calcário, nitratos, entre outros minerais. O produto vendido pelos garimpeiros é muito baixo, apesar de ser valorizado pelo mercado nacional e internacional. Com a aquisição dos equipamentos e a transformação dos produtos que antes era comercializado de forma artesanal, o minério passará a agregar valor. “Um exemplo, o feldspato que está sendo comercializado por 12 reais a tonelada e passará a ser vendido por 100 reais, triplicando seu valor. Uma grande diferença para o garimpeiro”, explicou Dagmar Alves gerente da cooperativa de Pedra lavrada.

Notícias relacionadas