Maia diz a Onyx que não fará indicação para Cidades e que cabe ao governo achar um nome - WSCOM

menu

Política

13/05/2019


Maia diz a Onyx que não fará indicação para Cidades e que cabe ao governo achar um nome

Em aceno à Câmara, governo havia sondado ex-deputado Alexandre Baldy. A Onyx, Maia disse que não indicará Baldy nem outra pessoa para não ser acusado de 'toma lá, dá cá'.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (esq.), e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (dir.) — Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em meio ao mal-estar entre o governo e o Congresso, causado pela votação da reforma administrativa, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), conversou neste domingo (12) com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

 

Até então, em aceno à Câmara, o governo negociava uma indicação de Maia e de deputados para o futuro Ministério das Cidades. No entanto, neste domingo, Maia disse ao ministro que não indicará o ex-deputado Alexandre Baldy (PP) para o cargo nem apresentará outro nome. Argumentou que, se fizer isso, o governo pode acusá-lo de querer o ‘toma lá, dá cá’.

 

Desde que o governo sofreu a derrota em relação ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), parlamentares passaram a ser alvos de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e até dos filhos do presidente, com postagens segundo as quais os políticos querem frear investigações.

 

Diante desse cenário, Maia disse a Onyx que não fará indicação para o Ministério das Cidades. O deputado argumentou, primeiro, que Alexandre Baldy está indo “bem” no governo de São Paulo como secretário de Transportes. Onyx, então, pediu a Maia que pensassem em outro nome. O presidente da Câmara rejeitou, acrescentando:

 

“Não vou indicar Baldy nem ninguém. O governo que procure outro nome. Vocês pedem para a gente indicar, depois ficam falando que é ‘toma lá, dá cá’. Nunca tive cargo no governo de Temer e não preciso ter. Importante é achar alguém que coloque a política de investimentos para funcionar.”

 

Ex-ministro das Cidades, Alexandre Baldy foi sondado por interlocutores do governo Bolsonaro para a futura vaga, que surgirá da divisão do Ministério do Desenvolvimento Regional nas pastas das Cidades e da Integração Nacional.

 

No entanto, na última sexta-feira (10), apoiadores de Bolsonaro passaram a divulgar um vídeo do senador Kajuru criticando Baldy. Por atribuir a movimentação a uma ação do grupo mais ideológico do presidente, Maia suspendeu as tratativas em torno do Ministério das Cidades. E tem repetido a interlocutores que o governo não quer ajudar.

 

 

LEIA MAIS: Maia afirma que Câmara irá analisar decreto que flexibiliza uso de armas

 

 

Com informações G1
Portal WSCOM