Luxa se defende por mudanças: ‘Se não mexesse, diriam que sou omisso’ - WSCOM

menu

Futebol

23/04/2011


Luxa se defende por mudanças

Dúvidas

Foto: autor desconhecido.

O torcedor do Flamengo até sabe qual é a base do time desta temporada, mas cada partida reserva uma surpresa. Seja por necessidade ou opção, Vanderlei Luxemburgo tem feito mudanças constantes na equipe que disputa o Carioca e a Copa do Brasil. O treinador usou 31 jogadores até agora. A troca de peças se concentra na lateral esquerda e no ataque, setores mais carentes do time. Quem entra não sabe por quanto tempo vai ficar. Quem sai não sabe se volta. Luxa se justifica.

– Dizem que mexo muito na equipe. Se não mexesse, diriam que sou omisso. Eu não jogo, dou oportunidade aos atletas. Se tivesse a equipe pronta, não mexeria. Só estou mexendo porque ainda não encontrei a equipe ideal.

Na lateral esquerda, Egídio foi quem mais teve oportunidades. Das 20 partidas oficiais na temporada, o camisa 6 jogou 13. Só não foi titular em duas. Opção mais recente do técnico na posição, Rodrigo Alvim esteve em campo cinco vezes, quatro delas como titular.

Tamanha necessidade fez Luxemburgo improvisar um zagueiro e um meia na esquerda. Ronaldo Angelim jogou três vezes como titular da lateral, enquanto Renato preencheu o “buraco” em duas oportunidades, a última delas nos 45 minutos iniciais do empate por 1 a 1 com o Horizonte-CE, pela Copa do Brasil, na quarta-feira passada.

– Coloquei o Renato ali, mas não foi sem saber. Não foi improvisação. Fiz analisando o adversário, tentando sair mais forte na jogada ofensiva. Vi que eles estavam fechados – explicou Luxa, após o jogo.

A mutação também acomete o ataque. Deivid sempre foi a primeira opção do treinador. Das 14 vezes em que esteve em campo, 11 foram como titular. Os cinco gols dão ao camisa 9 o posto de vice-artilheiro da equipe no ano, mas não o sustentam na equipe. As vaias da torcida são constantes, e o jogador reconhece que falta confiança.

– Coloco o Deivid e a torcida fica no pé. Aí tenho que preservar o Deivid. Coloquei o Wanderley, teve o Negueba… – lembrou o técnico.

Wanderley tem 12 participações na temporada, cinco delas como titular. O desempenho supera o de Deivid. Ele fez seis gols em 2011 e é o artilheiro da equipe ao lado de Thiago Neves.

Negueba teve chance de começar três das nove partidas que disputou. Até então, só Diego Maurício não foi escalado desde o princípio. Até Ronaldinho, que é armador, virou atacante algumas vezes, como na final da Taça Guanabara, contra o Boavista.

Neste domingo, no Fla-Flu da semifinal da Taça Rio, novas mudanças. Uma delas por lesão. O volante Maldonado machucou novamente o joelho esquerdo, será operado na terça-feira e ficará pelo menos seis meses fora. Fernando assume a vaga, por enquanto. Rodrigo Alvim terá nova chance na esquerda, e Renato volta a jogar no meio-campo. Titular no meio de semana, Negueba volta ao banco, enquanto Wanderley será mantido como único homem de frente. A escalação: Felipe, Léo Moura, Welinton, David e Rodrigo Alvim; Willians, Fernando, Renato e Thiago Neves; Ronaldinho e Wanderley.

Depois de reconhecer que o time caiu de rendimento nas “três ou quatro últimas partidas”, Luxemburgo demonstra otimismo.

– Estamos aqui trabalhando. É isso que me faz acreditar. Não resta dúvida de que a coisa vai voltar a acontecer.

A concentração dos jogadores para o clássico começa na noite desta sexta-feira. Na tarde deste sábado, o grupo fará o último treino antes do jogo decisivo.

Notícias relacionadas