Lula diz que crescimento da economia "não será nenhuma Brastemp" - WSCOM

menu

Economia & Negócios

25/08/2005


Lula diz que crescimento da

“O resultado da economia brasileira neste ano não será nenhuma Brastemp”, segundo afirmação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva feita hoje durante reunião do CDES (Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social).

Apesar da percepção de que o crescimento ficará aquém do esperado, o presidente se disse otimista com os rumos da economia brasileira.

“Vou cuidar para que em 2006, um ano em que os candidatos já estão nas ruas, (sic) vou garantir que [a economia] não sofra um retrocesso por conta de uma eleição neste país”, disse.

Juros

Lula também respondeu às pressões da sociedade e dos empresários para que o governo force uma queda na taxa de juros ao reafirmar que a política monetária é responsabilidade do Banco Central.

“Na hora que o presidente da República começar a interferir [na política de juros] não precisa do Banco Central”, afirmou.

O presidente dedicou boa parte do seu discurso para comentar a crise política e os seus efeitos na economia e na vida política do país.

“Estou convencido de que o Brasil sairá dessa [crise] para melhor, não posso dizer que vamos acabar com a corrupção, porque a corrupção é uma doença impregnada no comportamento de alguns seres humanos”, disse o presidente ao comentar que o governo será rigoroso na apuração dos envolvidos em corrupção.

Notícias relacionadas