Lula anuncia candidatura à reeleição esta semana - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

19/06/2006


Lula anuncia candidatura à reeleição

BRASÍLIA – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anuncia que concorrerá à reeleição até sexta-feira, um dia antes da Convenção Nacional do PT que fará o lançamento oficial da campanha. A legislação eleitoral proíbe que candidatos participem de inaugurações ou visitem obras, por isso Lula adia a declaração pública de sua candidatura, apesar de atuar fortemente nos bastidores a favor da reeleição.

Na terça-feira, o presidente visitará as cidades de Passo Fundo e Curitiba. Na capital do Paraná, Lula participará da cerimônia de lançamento da produção de óleo diesel com processamento de óleo vegetal, na refinaria presidente Getúlio Vargas, da Petrobras. E no município gaúcho ele lançará a pedra fundamental de uma usina de biodiesel. O anúncio da candidatura pode ocorrer na quinta-feira. A data, no entanto, não está definida, sobretudo porque ainda não está descartada uma viagem à Santa Catarina, provavelmente na sexta-feira.

Ainda esta semana a aliança com o PC do B poderá ser fechada. Dependendo de alguns poucos detalhes. O presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), negocia com o colega do PC do B, Renato Rabelo, o quadro da aliança. Nesta segunda-feira, ele reúne-se com dirigentes petistas para tentar suavizar a posição para viabilizar as alianças formais ou informais.

A Convenção dos comunistas está prevista para o dia 29, um dia depois do encontro do PSB. Ela já foi adiada uma vez por conta das negociações e a indefinição sobre a plataforma única dos aliados de Lula em um eventual segundo governo. A aliança formal com os socialistas depende da solução do impasse em pelo menos oito estados. Os dirigentes do partido afirmam que hoje a tendência é que Lula receba o apoio informal, mas admitem que o cenário é poroso para acordos.

Lula tem articula diretamente o apoio do PSB e de setores do PMDB, a chamada ala governista do partido que enterrou, definitivamente, a candidatura ao Palácio do Planalto. Os peemedebistas aliados de Lula dizem que poderá haver um movimento favorável ao presidente dentro do partido e avaliam que o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, contará apenas com os Estados do Sul e alguns do Sudeste.

Notícias relacionadas