Lula acompanha no Chile posse histórica de Bachelet - WSCOM

menu

Internacional

11/03/2006


Lula acompanha no Chile posse

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva faz neste sábado uma visita de seis horas ao Chile, onde acompanhará a histórica cerimônia de posse de Michelle Bachelet, a primeira mulher a assumir a Presidência chilena.

A transmissão do cargo do atual presidente do Chile, Ricardo Lagos, para Bachelet será realizada na sede do Congresso Nacional, na cidade de Valparaíso, que deve receber delegações de 120 países.

Assim como o atual presidente, a socialista Michelle Bachelet representa a frente de centro-esquerda Concertación, que governa o Chile desde 1990, quando chegou ao fim o governo do general Augusto Pinochet.

Bachelet, que é médica, foi ministra da Saúde e da Defesa no governo de Ricardo Lagos. Agora, terá um mandato de quatro anos como presidente e promete priorizar nesse período as políticas sociais.

Convidados

Lula viaja ao Chile acompanhado pelo presidente do Haiti, René Préval, que visitou Brasília na sexta-feira.

Além dos dois líderes, a posse de Bachelet contará com a presença dos presidentes da Argentina, Néstor Kirchner, da Bolívia, Evo Morales, e da Venezuela, Hugo Chávez, além da secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, entre outros convidados.

Na véspera da cerimônia de posse de sua sucessora, o presidente Ricardo Lagos discursou diante do Congresso, em Valparaíso, e fez um pronunciamento ao povo chileno transmitido pela televisão.

Lagos fez um balanço de sua administração, destacou os progressos da economia chilena, o fortalecimento da democracia e a promulgação da nova Constituição para dizer que o “Chile garantiu a solidez republicana”, com “relações corretas entre civis e militares”.

“Quero agradecer à coalizão de partidos que me apoiou e à oposição, que também teve um papel democrático”, disse o presidente, que deixa o cargo com a aprovação de 70% dos chilenos.

“Ao me despedir deste contato cotidiano que procurei manter com todos os chilenos e chilenas, quero agradecer com profunda emoção o apoio e o carinho que senti por parte de todos”, concluiu Ricardo Lagos.

Apesar dos avanços registrados no Chile nos últimos anos, a desigualdade ainda é um dos maiores problemas do país. Estima-se que a pobreza afeta 18% da população chilena e a renda dos mais ricos é 40 vezes maior do que aquilo que ganham os 10% mais pobres.

Notícias relacionadas