Luiz Couto é escolhido o melhor deputado para causas sócio-ambientais na PB - WSCOM

menu

Política

06/03/2018


Luiz Couto é escolhido o melhor deputado para causas sócio-ambientais na PB

Luiz Couto ficou com 36,7 ºC, a melhor "temperatura" aferida entre os deputados federais da Paraíba

O deputado federal Luiz Couto (PT) foi escolhido como o melhor da bancada federal paraibana no que diz respeito a seu comportamento em votações que dizem respeito às causas socio-ambientais. A pontuação foi obtida através de uma ferramenta para medir o comportamento dos deputados federais eleitos em 2014 nesse setor. Quanto pior o impacto socioambiental dos projetos que o parlamentar votou ou propôs, mais alta foi apontada sua temperatura. Podendo atingir níveis de febre. O impacto de cada projeto ou votação foi avaliado por organizações que defendem os interesses do meio ambiente, comunidades tradicionais e trabalhadores rurais.

Luiz Couto ficou com 36,7 ºC, a melhor “temperatura” aferida entre os deputados federais da Paraíba. Seu desempenho ainda inclui os fatos dele não ter recebido doações de empresas flagradas com trabalho escravo ou de empresas autuadas pelo Ibama e também não possuir multas do Ibama e nem dívidas com o INSS, entre outros aspectos positivos de sua atuação.

Para se ter uma ideia do que representa o bom índice de Couto, em cada 10 deputados federais brasileiros, 6 tiveram atuação desfavorável ao meio ambiente, indígenas e trabalhadores rurais.

Pelo menos 323 deputados federais, ou 63% da Câmara, têm atuação parlamentar desfavorável à agenda socioambiental. Eles votam e elaboram projetos que têm impacto negativo para o meio ambiente, povos indígenas e trabalhadores do campo.

Os dados são resultado de levantamento que levou em conta 14 votações nominais e 131 projetos de lei nessa área. Para medir se os projetos e proposições teriam impacto negativo ou positivo, oito organizações do setor socioambiental foram chamadas para fazer uma avaliação de mérito desses projetos. O cruzamento de dados faz parte do “Ruralômetro”, ferramenta jornalística para consulta sobre os deputados federais produzida pela ONG Repórter Brasil.

Cada deputado foi pontuado dentro de uma escala equivalente ao que seria a temperatura corporal: de 36⁰C a 42⁰C. Quanto pior avaliado, mais alta a sua temperatura – podendo atingir níveis de febre.

Notícias relacionadas