Luiz Couto afirma que morte de Marielle foi atentado aos Direitos Humanos - WSCOM

menu

Política

16/03/2018


Luiz Couto afirma que morte de Marielle foi atentado aos Direitos Humanos

"Foi um crime repleto de um simbolismo perverso. O atentado que matou Marielle queria calar a todos nós que defendemos os direitos humanos"

Foto: autor desconhecido.

O deputado federal Luiz Couto (PT-PB) lamentou profundamente o crime bárbaro que tirou a vida da vereadora Marielle Francisco da Silva, do PSOL, de 38 anos, negra, mãe solteira, socióloga, criada no Complexo da Maré. A parlamentar foi assassinada com quatro tiros na última segunda-feira, 14, ao deixar um evento sobre a atuação de mulheres negras na política. Os bandidos não levaram nenhum pertence dela, nem do motorista, Anderson Pedro Gomes, do carro em que estavam – ambos foram mortos no local.

“Foi um crime repleto de um simbolismo perverso. O atentado que matou Marielle queria calar a todos nós que defendemos os direitos humanos, uma sociedade mais justa e nos opomos a setores minoritários que querem enlamear a polícia, infiltrando nela bandidos ou usando-a para aterrorizar pobres e pretos”, disse o deputado, acrescentando que Marielle tinha vínculos com a Paraíba, já que sua mãe e tia são nascidas no Estado.

Couto cobrou uma apuração rigorosa e punição exemplar aos responsáveis pelo duplo assassinato e disse que o crime não pode ficar impune: “Foi um crime político, não há dúvida. Uma execução encomendada para eliminar uma voz que incomodava aqueles que defendem a intervenção federal nas favelas e o excesso de violência policial no bairro de Acari, no Rio, denunciado por Marielle”.

Notícias relacionadas