EXCLUSIVO: WSCOM traz depoimento de Luceninha à PF negando venda de mandato em Cabedelo - WSCOM

menu

Política

21/03/2019


EXCLUSIVO: WSCOM traz depoimento de Luceninha à PF negando venda de mandato em Cabedelo

Ele prestou depoimento na última terça-feira (19) à Polícia Federal.

Foto: autor desconhecido.

Em depoimento na última terça-feira (19) à Polícia Federal, obtido com exclusividade pelo Portal WSCOM nesta quinta-feira (21), o ex-prefeito de Cabedelo, José Maria de Lucena Filho, o Luceninha, negou ter vendido o seu mandato de prefeito de Cabedelo ao empresário Roberto Santiago. A investigação é decorrente da Operação Xeque-Mate e na fase processual o ex-prefeito tem sido defendido pelo renomado advogado Rodrigo Santos, presente na audiência.

 Luceninha rechaçou a hipótese de ter recebido dinheiro do radialista Fabiano Gomes ou do ex-secretário Olívio Oliveira com o objetivo de vender o seu posto. Ele apontou que esteve com Fabiano Gomes somente na véspera da renúncia, e com Lucas Santino e Olívio no dia que deixou o cargo. No entanto, ele desconheceria os canhotos dos cheques encontrados no escritório de Roberto Santiago.


O depoente afirmou ainda que não sofreu pressão de Fabiano Gomes para renunciar ao cargo. Luceninha apontou que chegou a ir ao flat de Fabiano Gomes para que o mesmo escrevesse sua carta renúncia, pois já estava disposto a deixar o cargo. A renúncia, no entanto, teria ocorrido pois Luceninha não conseguia cumprir as despesas administrativas da prefeitura.


Ele ainda revelou à Polícia Federal que, ao deixar a prefeitura, pediu que Leto Viana deixasse em cargos comissionados a sua filha e a esposa, além do seu subsecretário de esportes, Maurício.


Contato com Roberto Santiago


O ex-prefeito de Cabedelo contou que esteve no escritório de Roberto Santiago antes de ser prefeito duas vezes, e acredita que os encontros ocorreram em 2012.


Segundo Luceninha, o assunto dos encontros foi o pedido para compra de um projetor a preço de custo no Shopping de propriedade de Roberto, para auxiliar em sua função enquanto professor. Ele teria ido acompanhado de Olívio, mas, após os dois encontros, não manteve mais contato com o empresário.


Por Redação / Portal WSCOM