Lucélio aponta ausência do governo em áreas prioritárias - WSCOM

menu

Política

29/09/2018


Lucélio aponta ausência do governo em áreas prioritárias

Foto: autor desconhecido.

A Segurança pública foi um dos principais temas abordados por Lucélio Cartaxo na noite de ontem, durante debate realizado pelo Sistema Correio de Comunicação. Na ocasião, o candidato criticou o histórico descaso com o problema que compromete a vida dos paraibanos.

“O atual governador e seu candidato dizem que a segurança está uma maravilha, quando as pessoas no dia a dia sentem a apreensão de perto. O outro candidato critica a insegurança, mas foi governador por quase dez anos e enfrentou uma das maiores greves da polícia da Paraíba. Chegou a hora da Paraíba experimentar uma nova dinâmica na administração do Estado. E nós estamos preparados para fazer uma gestão que vai trazer mais trabalho e resultados aos paraibanos dos 223 municípios. No caso da segurança, vamos convocar imediatamente policiais aprovados em concurso, implantar centrais de monitoramento e criar as companhias da cidade e do campo, para espalhar a presença do governo e restabelecer a tranquilidade”, disse.

O candidato ao Governo do Estado pela coligação Força da Esperança apresentou propostas em todas as áreas, para melhorar a qualidade de vida dos paraibanos, e também denunciou o recebimento de super salários por candidatos ao pleito eleitoral.

“Temos um candidato que, quando concorreu ao Senado, se comprometeu com a população a abdicar da sua pensão de ex-governador. Se elegeu e não o fez, somando, entre pensão de ex-governador e salário de senador, mais de R$ 57 mil por mês, tanto que está sendo cobrado pelo Ministério Público Federal a devolver mais de R$ 1 milhão aos cofres públicos. A população da Paraíba não aceita mais esse tipo de privilégios e deseja de um governante que primeiro honre com a palavra”, disse, referindo-se à ação do MPF este ano.

Priorizando a discussão sobre o futuro da Paraíba, Lucélio apresentou diversas propostas, tendo defendido, entre outras ações, o fortalecimento da saúde nas regiões, contemplando os 223 municípios paraibanos. “Os Hospitais Regionais serão fortalecidos, pois hoje muitos não conseguem realizar nem cirurgias eletivas. Vamos também acabar o déficit de UPAs, pois a Paraíba precisa de mais nove unidades para ter todas as regiões com atendimento”, disse, depois de também defender a implantação do Hospital de Trauma do Sertão.

Notícias relacionadas