'Lua Cambará, nas escadarias do Palácio' é exibido no Festival de Teatro do Sesc - WSCOM

menu

Entretenimento

20/10/2005


'Lua Cambará, nas escadarias do

‘Lua Cambará- Nas Escadarias do Palácio”, será um dos filmes que será exibido na Mostra W.J.Solha, que o Cine Sesc está desenvolvendo dentro da programação de cinema do Festival de Teatro Comunitário e Mostra de Dança Livre, em outubro. O filme, que será exibido do dia 21 de outubro às 18 horas, tem sua primeira exibição na Paraíba.

No sertão do Ceará, no século XIX, Lua Cambará, de origem bastarda, tenta se afirmar em uma sociedade machista e preconceituosa. Para isso, utiliza as armas do homem – a violência e a prepotência. Ela impõe sua vontade, mas perde a alma.

O filme conta a historia de Lua Cambará se passa nos sertões do Nordeste em meados do século XIX, quando o coronel Pedro Cambará ( W. J. Solha), estupra a negra Maria, escrava de sua propriedade. Dessa violência, nasce em noite de lua cheia, uma menina chamada de Lua. Cabinda, uma velha feiticeira, profetiza para a menina um destino extraordinário. Durante uma grande seca, a escrava Maria atravessa o sertão em busca da casa do coronel, mas morre no caminho de fome e sede. Um dos empregados da Casa Grande encontra Lua e leva até o coronel que a reconhece como filha bastarda mais a trata com indiferença. È nesse cenário que Lua cresce e se torna uma mulher de grande beleza. Com a morte do pai, ela desencadeia e precipita o seu destino sangrento, aventuroso e diabólico. “Lua Cambará “ganhou em 2003 o 7º Festival Cine PE.

O filme tem como atores convidados Nelson Xavier, Via Negromonte e Sofia Xavier e elenco integrado por atores nordestinos, como Toni Silva, W. J. Solha, B. de Paiva, Claudio Jaborandy, Joca Andrade, Ceronha Pontes, Bárbara Cariry, Soraia Matre, entre muitos outros. Antônio Luiz Mendes (Sertão das Memórias, Guerra de Canudos) é diretor da fotografia e o Maestro Guilherme Vaz compositor da trilha sonora. Além da direção, Rosemberg Cariry assina também o roteiro, a produção e divide a montagem do filme com Severino Dadá. “ Lua Cambará é um filme que elabora uma metáfora complexa sobre a mulher em uma sociedade machista e violenta”, conclui Cariry.

Filmado nos sertões dos Inhamuns e central, com algumas seqüências rodadas em Maranguape, Parambu, Tauá, Crateús e Quixadá, Lua Cambará é inspirado em fábula nordestina/brasileira de conotações universais que tem a lua como símbolo da psique feminina, e é também um emblema do Brasil mestiço e envergonhado de si mesmo. O filme teve pré-estréia no VIII Festival Internacional de Cinema de Calcutá, em novembro de 2002, estreou nos EUA, em Nova Iorque, no New Cinema Novo Recent Brazilian Cinema.

“Lua Cambará – Nas Escadarias do Palácio”, será um dos filmes da Mostra que traz também “A Canga” e “O Meio do Mundo”, de Marcus Vilar, “Fogo Morto”, inspirado na obra de José Lins do Rego e “O Salário da Morte”, de Linduarte Noronha. As exibições acontecerão de 18 a 21 de outubro às 18 horas na sala de exibições de cinema e vídeo do Sesc Centro, com entrada gratuita.

Notícias relacionadas