Legista contratado por família diz que vai apontar erros e corrigi-los - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

20/05/2008


Legista contratado por família diz



George Sanguinetti à época do lançamento de seu livro sobre o caso PC Farias

O médico-legista George Sanguinetti, que anunciou nesta terça-feira (20) ter aceitado o convite da defesa do pai e da madrasta para atuar no caso Isabella, afirmou que pretende apontar erros nos laudos do Instituto Médico-Legal (IML) e do Instituto de Criminalística (IC) e corrigi-los. A apresentação à imprensa deve ocorrer em São Paulo na próxima semana.

“Se há erro, compromete o laudo. Eu devo respeito ético aos colegas, principalmente aos da necropsia. O laudo cadavérico direciona para um certo sentido que a boa medicina não pode aceitar”, afirmou ele, sem detalhar os supostos equívocos constatados nos laudos.

Para o legista, ao longo das investigações, foram feitas afirmações apressadas “talvez pelo tom emocional”. George Sanguinetti afirmou que, se uma nova reconstituição do crime for realizada, ela não precisa acontecer no Edifício London, na Zona Norte, onde Isabella foi morta.

“Eu diria que, se por ventura for feita (a reconstituição), não faremos necessariamente no local. Temos medição de tudo. Faríamos em uma situação que não chamasse muito a atenção”, disse ele.

Antes da apresentação da análise preliminar dos laudos, o especialista se reunirá com peritos criminais e médicos-legistas neste fim de semana na capital paulista.

Vereador em Maceió, George Sanguinetti é especialista em medicina-legal formado pela Universidade Federal de Pernambuco. Ele é coronel-médico reformado pela Polícia Militar de Alagoas, ex-diretor do IML de Maceió e lecionou medicina-legal na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Alagoas por 32 anos.

Nova estratégia – Em reunião nesta semana, os advogados decidiram esperar a análise preliminar dos laudos pelos peritos contratados para definir se aguardam um novo julgamento (mérito do habeas corpus) pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) ou se entram com mais um pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF). O parecer dos peritos contratados pela defesa pode ser usado como argumento para a revogação da prisão preventiva do casal.

“Temos recebido notícias positivas. Vamos esperar as considerações a respeito da análise dos laudos, feita pela equipe de peritos, para depois tomar uma postura: ou aguardar o julgamento do mérito (do pedido de habeas corpus pelo STJ), ou irmos ao Supremo (STF). Tem de ganhar força do ponto de vista técnico”, explicou o advogado Rogério Neres. Nesta semana, a defesa descartou entrar com o pedido de liberdade no STF.

Notícias relacionadas