Justiça Eleitoral no Peru avalia se García desrespeitou lei - WSCOM

menu

Internacional

04/06/2006


Justiça Eleitoral no Peru avalia

Minutos depois do início da votação no Peru, a Justiça Eleitoral peruana começou a discutir se o presidenciável Alan García, do Partido Aprista (Apra), desrespeitou a lei eleitoral ao pedir a uma das filhas que dissesse ao vivo diante das câmeras de televisão: “Votem pelo meu pai”.

O fato ocorreu durante o tradicional “café-da-manhã eleitoral” que os candidatos costumam realizar com os jornalistas no dia do pleito, em Lima.

“É o voto da democracia contra o militarismo”, insistiu García, atacando seu opositor, o ex-militar Ollanta Humala, do UPP.

O representante da Justiça Eleitoral, Boris Aymar, disse à rádio RPP que está se analisando se o candidato desrespeitou a lei ao pedir voto no dia da eleição, o que é proibido pela legislação eleitoral.

O incidente levou as emissoras de TV a suspenderem a transmissão das palavras de García, que estava ao lado da mulher, Pilar, e de quatro dos cinco filhos.

Mas a expectativa é de que o incidente, segundo a imprensa peruana, “caia no esquecimento” numa jornada eleitoral que não registra “maiores problemas”.

Durante o café-da-manhã com os jornalistas, um deles perguntou a García se ele era “o menos ruim” desta eleição, como foi dito por eleitores e analistas: “Não acho que eu seja o menos pior, mas o voto útil”.

Leia mais no site da BBC Brasil