Julian confirma base aliada com 9 deputados da PB e diz que pretende ‘desaparelhar’ atuação de movimentos sociais do Incra - WSCOM

menu

Política

08/03/2019


Julian confirma base aliada com 9 deputados da PB e diz que pretende ‘desaparelhar’ atuação de movimentos sociais do Incra

Deputado disse que soube da indicação de cargos federais pela imprensa. Deputado criticou o discurso da esquerda na Paraíba: “está mofado”

Na imagem, o deputado federal Julian Lemos

Por Ângelo Medeiros / Portal WSCOM

 

 

O deputado federal Julian Lemos (PSL) concedeu uma entrevista polêmica, na noite desta quinta-feira (7), ao programa Bastidores, da TV Master. Entre várias declarações, o parlamentar afirmou que, em breve, a bancada de sustentação ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) na Câmara Federal contará com o apoio de nove dos 12 deputados federais eleitos pela Paraíba. Ele também não poupou críticas ao discurso dos representantes de esquerda e se mostrou incomodado com o que anda sendo veiculado na imprensa sobre ele (veja abaixo).

 

RELAÇÃO COM JOÃO AZEVÊDO E A ESQUERDA

Ainda durante a entrevista, Julian Lemos afirmou que torce pelo sucesso do governador João Azevêdo (PSB). Ele lamentou as críticas da esquerda paraibana e do gestor estadual contra Jair Bolsonaro e afirmou que não existe retaliação por parte do governo federal para com a Paraíba. O deputado citou como exemplo a recente liberação de empréstimo no valor de US$ 50 milhões, junto ao Banco Mundial, que serão destinados ao projeto Cooperar, fruto de articulação do próprio Azevêdo com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

 

“Eu quero que João Azevedo tenha sucesso na sua administração, porque se ele tiver, a Paraíba ficará bem. Se eu torcer contra, assim como a esquerda torce para Jair Bolsonaro dar errado, eu estarei sendo contra a Paraíba”, frisou.


“Eu tenho divergências ideológicas, mas ninguém governa por ideologia, acho que o discurso da esquerda paraibana está mofado, fica muito em cima de pontos específicos como se fosse uma mágoa por causa do resultado da eleição. Aprendam a ser oposição. Vejam a Paraíba como está recebendo um carinho especial do presidente Jair Bolsonaro”, complementou.


CARGOS FEDERAIS


Sobre a indicação para cargos federais, Julian Lemos afirmou que ainda não acertou os detalhes sobre as indicações com governo federal, e que soube apenas pela imprensa que os cargos da Fundação Nacional da Saúde (Funasa) e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) na Paraíba, estarão sob a sua responsabilidade. Segundo ele, caso a informação seja confirmada, o perfil para escolha dos cargos será exclusivamente técnico.   


“Existem cargos federais aqui na Paraíba que o salário de quem comanda é de R$ 6 mil. E, sabe porque as pessoas brigam por isso? Para operar, para ganhar dinheiro em cima de processos de licitação e eu não quero me envolver com isso. Você não vai ver indicação de Julian Lemos de familiares e nem de pessoas que não tenham a capacidade técnica para trabalhar e organizar aquele determinado órgão. Eu não trabalho dessa forma, pois, se chegar ao meu ouvido que tem gente operando, comendo toco [sic], eu irei defender os interesses da Paraíba e denunciarei”.


O deputado ainda afirmou que irá buscar coibir a operação do Incra junto a movimentos sociais, a exemplo do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). “A pessoa que eu irei colocar terá perfil técnico, que tenha currículo e que possa, sobretudo, desaparelhar o Incra, que hoje é utilizado simplesmente para movimentos sociais. Tem pessoas bem-intencionadas, mas muitos operando de maneira negativa. Vamos praticar justiça no Incra. Vamos limpar isso”, frisou.    

 
CARLOS BOLSONARO E BEBIANNO


Durante a entrevista, o deputado rebateu a informação de que teria problemas pessoais com o filho do presidente, Carlos Bolsonaro, vereador do Rio de Janeiro, que o atacou publicamente pelo Twitter. “Para se ter uma briga, precisam existir duas pessoas brigando. Eu não brigo com o filho do presidente”, disse. “Estou preocupado em honrar os 72 mil votos que a Paraíba me concedeu. O filho do presidente é problema do presidente, não é do deputado Julian Lemos”, complementou.  


O deputado ainda defendeu o ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, que teve a sua saída do governo confirmada em fevereiro, pivô da primeira crise política do governo do presidente Jair Bolsonaro, gerada pela suspeita de que o PSL, fez uso de candidatura “laranja” nas eleições de 2018 para desviar verbas públicas.

 

“Bebianno é um homem correto, decente, leal, de postura, um amigo pessoal meu. É um cara que a história irá dizer que ele foi. Simples assim”, comentou.
 

CRÍTICAS DA IMPRENSA

 

Por fim, o deputado ainda se mostrou incomodado com algumas matérias veiculadas sobre ele na imprensa. “Falam bem, falam mal, se me perguntam uma coisa, mudam a versão. Eu me dou bem com todos os jornalistas, mas eu não gosto da matéria apenas pela polêmica, pela fratura exposta, para dar like”, disse.