Jefferson volta atrás e isenta Lula de envolvimento com Portugal Telecom - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

04/08/2005


Jefferson volta atrás e isenta

Em depoimento à CPI do “Mensalão”, o deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) recuou e disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não sabia das negociações para indicações em Furnas nem dos encontros com representantes da Portugal Telecom. “Não posso dizer se o presidente Lula soube ou não do encontro do José Dirceu para tratar do esquema Portugal Telecom”, declarou.

Na última terça-feira, quando Dirceu prestou depoimento ao Conselho de Ética, Jefferson acusou o ex-ministro de aproximar Lula da Portugal Telecom. Ainda no Conselho de Ética, Jefferson disse que o assunto Furnas foi tratado na ante-sala do presidente, no Palácio do Planalto. “O assunto foi tratado entre mim, vossa excelência, o ministro Walfrido [Mares Guia] e o presidente Lula ouvindo”, disse na ocasião

Novamente, Jefferson tentou isentar Lula do esquema do “mensalão”. “Pela reação do presidente, ele não sabia. Era um homem ferido”, disse, ao comentar a reação de Lula quando contou sobre o pagamento de mesada a parlamentares da base aliada. “Lula foi traído ou mal informado”, acrescentou.

Jefferson disse que o presidente só conseguiu suspender o “mensalão” no início do ano por dois meses. “Conversei com o presidente e ele conseguiu suspender em janeiro e fevereiro. O mensalão foi retomado em março e definitivamente suspenso em maio, quando fiz as denúncias”, continuou.

O deputado fluminense voltou a acusar Dirceu de ser o “chefe” do esquema do “mensalão” e envolveu também Luiz Gushiken, chefe do Núcleo de Ação Estratégica da Presidência da República. “Sem nenhum erro. O José Dirceu chefiava isso. Não conversei isso com Gushiken, mas ele autorizou. Para mim, passa por José Dirceu e Gushiken, tem inteligência do governo.”

Em sua fala, o deputado disse ainda que Lula é um “estadista”, que se dedicou muito mais a ser um chefe de Estado do que um chefe de governo. “Ele [Lula] delegou a chefia de governo a José Dirceu.”

Notícias relacionadas