Itália e EUA empatam e adiam definição do grupo E da Copa - WSCOM

menu

Mais Esporte

17/06/2006


Itália e EUA empatam e

Itália e Estados Unidos fizeram neste sábado, na cidade de Colônia, uma das partidas mais movimentadas da Copa do Mundo de 2006. Com direito a gol contra e três expulsões, os times ficaram no 1 a 1 e adiaram para a última rodada a definição dos classificados do grupo E para as oitavas-de-final.

Com o resultado, a Itália termina a segunda rodada do grupo na liderança, com quatro pontos. República Tcheca e Gana dividem a segunda posição, com três pontos, sendo que os tchecos levam vantagem no saldo de gols (um contra zero). Os Estados Unidos aparecem em quatro lugar, com um ponto.

As quatro seleções do grupo ainda têm chances de avançar para a segunda fase. E os classificados deste grupo vão enfrentar os dois melhores times do grupo do Brasil nas oitavas-de-final. Na última rodada, a Itália enfrentará a República Tcheca e os Estados Unidos pegarão Gana.

Neste sábado, embora não tenham feito um jogo bom tecnicamente, Estados Unidos e Itália ao menos jogaram com bastante vontade. E até com um pouco de violência, obrigando o árbitro uruguaio Jorge Larrionda a mostrar o cartão vermelho três vezes, igualando o recorde de expulsões em Mundiais (os jogos entre Brasil e Tchecoslováquia, em 1938, Brasil e Hungria, em 1954, e Dinamarca e África do Sul, em 1998, também tiveram três jogadores expulsos).

As duas equipes começaram a partida com alterações em relação ao primeiro jogo. Na Itália, Zambrotta, recuperado de contusão, entrou no lugar de Grosso. Nos Estados Unidos, Beasley foi sacado para a entrada de Dempsey.

A partida começou muito fria. Tanto que a primeira chance de gol surgiu apenas aos 15min, em uma cobrança de falta de Convey que explodiu na barreira. Mas, a partir daí, o jogo pegou fogo.

Os Estados Unidos passaram a pressionar a Itália e quase abriram o placar em dois lances -um chute de Convey e outro de Dempsey- que passaram perto do gol.

E, quando a seleção norte-americana estava melhor em campo, acabou sofrendo o gol. Aos 22min, Pirlo cobrou falta da direita, a defesa falhou na marcação e Gilardino, de peixinho, cabeceou para as redes.

Mas a alegria italiana durou pouco. Aos 27min, Convey cobrou falta da direita e Zaccardo, na tentativa de cortar, acabou mandando para dentro do próprio gol.

O lance desestabilizou a “Azzurra”. No minuto seguinte, De Rossi deu uma cotovelada em McBride em uma disputa de bola e foi expulso. Mesmo com um a menos, a Itália por pouco não desempatou aos 31min. Pirlo fez bom passe para Luca Toni, que dentro da área chutou para fora.

O técnico Marcello Lippi resolveu então fechar a seleção italiana, tirando o armador Totti para a entrada do volante Gattuso. Mas a mudança não surtiu efeito imediato, com os Estados Unidos pressionando.

Aos 42min, Mastroeni arriscou de fora da área e assustou o goleiro Buffon. Dois minutos depois, entretanto, o jogador atrapalhou a vida da seleção norte-americana ao dar um carrinho desnecessário em Pirlo no meio-campo e ser expulso.

No segundo tempo, os Estados Unidos não tiveram nem chance de colocar em prática o que foi pedido pelo técnico Bruce Arena no intervalo. Em menos de dois minutos, Pope deu um carrinho por trás em Gilardino e também ganhou o cartão vermelho.

A Itália passou então a controlar as ações do jogo. E Lippi fez uma alteração ousada para a tradição defensiva italiana: ele tirou o lateral Zaccardo para a entrada do meia Del Piero.

O time passou a atacar mais, mas também abriu espaço para os contragolpes dos norte-americanos. Até os 15min cada equipe teve pelo menos duas boas chances para marcar.

Bruce Arena também resolveu mudar, colocando Beasley no lugar de Dempsey. Aos 18min, os norte-americanos quase marcaram, em chute de McBride que foi para fora. No minuto seguinte, Beasley marcou, mas o árbitro anulou o tento indicando impedimento.

O troco da Itália veio em seguida, com chute de Zambrotta que passou à esquerda do gol de Keller. Aos 27min, depois de receber passe de Pirlo, Del Piero perdeu grande chance, em bola defendida pelo goleiro norte-americano.

Os dois voltaram a se enfrentar aos 34min, e novamente o goleiro dos Estados Unidos levou vantagem, desta vez em chute de fora da área do italiano.

A Itália continuou pressionando, principalmente em cruzamentos para a área. Mas a defesa dos Estados Unidos, bem colocada, evitou o gol decisivo.