Iraque insiste em aplicar a pena de morte apesar de pedido da ONU - WSCOM

menu

Internacional

21/08/2005


Iraque insiste em aplicar a

O Governo iraquiano defendeu neste domingo sua decisão de aplicar a pena de morte em resposta às críticas da ONU, que ontem sugeriu ao país que reconsiderasse a execução de três condenados vinculados à rede terrorista Al Qaeda.

“Entendemos a postura das organizações internacionais e compreendemos as Nações Unidas, que em geral se opõem à pena capital. Mas, a morte é uma realidade no Iraque, e nós só buscamos uma Justiça que puna os que cometeram um crime”, disse o porta-voz do Governo, Laiz Kuba.

“Com todo o respeito devido a (representante especial no Iraque da secretaria geral da ONU) Ashraf Qazi, acho que existe um consenso no Iraque de que se não houver punição não haverá segurança”, acrescentou.

Qazi tinha pedido ao Iraque que reconsiderasse sua decisão de retomar as execuções, suspensas desde que a pena de morte foi abolida pela Administração interina formada pelos EUA após a queda de Saddam Hussein.

Nesta semana, um dos dois vice-presidentes iraquianos, Adel Abdel Mahdi, formulou a ata que permite a execução de três membros do grupo islâmico radical Ansar al Islam -supostamente vinculado à Al Qaeda- acusados de assassinato.

O presidente do país, Jalal Talabani, que anunciou que não assinará a sentença caso Saddam Hussein seja condenado à pena capital, passou o poder neste assunto ao responsável xiita.

Notícias relacionadas