Inter, muito mal, perde a primeira na Libertadores: 1 a 0 para o Jaguares - WSCOM

menu

Futebol

06/04/2011


Inter, muito mal, perde a primeira

Libertadores

Foto: autor desconhecido.

Era para pelo menos garantir classificação. Se possível, vencer e aumentar as chances de ter a melhor campanha geral da primeira fase da Libertadores. Mas deu tudo errado para o Inter nesta quarta-feira. Péssima atuação em Tuxtla Gutiérrez, no México, resultou em derrota de 1 a 0 para o Jaguares, e agora o Colorado depende de seu último jogo na fase de grupos, contra o Emelec, para avançar às oitavas de final.

O Inter esteve irreconhecível. Mal no primeiro tempo, conseguiu piorar no segundo. Só reagiu depois de levar o gol, em falha defensiva, mas não a ponto de buscar o empate. O gol de Salazar estacionou o time de Celso Roth em dez pontos no Grupo 6 da Libertadores. O Jaguares subiu para nove. O Emelec tem sete, mas enfrenta o Jorge Wilstermann nesta quinta-feira, na Bolívia, e também pode ir a dez – porém, o saldo é bem inferior ao dos vermelhos.

O revés praticamente extinguiu as chances de o Inter fazer a melhor campanha da Libertadores. Mas a classificação segue próxima. Se vencer o Emelec, o Colorado será o campeão de seu grupo. Se empatar, estará classificado, mas aí corre o risco de cair para segundo. O duelo com os equatorianos é no dia 19 de abril, no Beira-Rio.

Pior que o jogo, só a música

Foi daqueles jogos de tirar bocejo até do torcedor mais animado o primeiro tempo de Jaguares x Inter. Mais chata do que a partida, só a música que o sistema de som colocava a cada poucos segundos, sabe-se lá por que cargas d’água, como costuma acontecer em jogos de beisebol nos Estados Unidos. Dentro de campo, o time colorado jogou o suficiente para controlar os mexicanos durante quase o tempo todo. O 0 a 0 foi a consequência natural da falta de inspiração dos dois times.

O Jaguares havia publicado, em seu site oficial, que a vingança é um prato que se come frio. Mas a torcida não deu muita bola para a tentativa de motivação. Em um estádio quase vazio, o fator local só foi sentido por causa do forte calor, superior a 30 graus, em Tuxtla Gutiérrez. Mesmo assim, o Inter segurou bem a onda. Pouco ameaçou, mas também esteve longe de virar pressão.

O Inter foi a campo com a repetição do desenho de dois volantes e três meias. Assim, conseguiu, na metade inicial do primeiro tempo, ter a posse de bola. D’Alessandro, como de costume, foi o centro dos avanços colorados. Zé Roberto foi bastante participativo, mas não teve muita vitória pessoal. Oscar esteve discreto.

A melhor chance colorada foi com Leandro Damião. Aos 19 minutos, ele protegeu bem a bola dentro da área e mandou chute cruzado, rasteiro. O goleiro Villaseñor defendeu.

O Jaguares cresceu na metade final da primeira etapa. A reação foi anunciada quando Andrade, com 23 minutos, mandou um chute no travessão do Inter. A bola encobriu Lauro, que conseguiu tocar de leve nela, o suficiente para evitar o gol. Mais tarde, Torres também teve sua chance. Recebeu pela direita, livre de marcação, e mandou chute fraco. Lauro pegou.

Era ruim, ficou pior

Pior do que um empate em um primeiro tempo ruim é uma derrota em um segundo tempo péssimo. O Inter se perdeu de vez na volta do intervalo e acabou vazado pelo Jaguares. Os mexicanos, com as entradas de Manso e Salazar, cresceram muito na partida. E ainda contaram com uma ajuda do adversário para chegar ao gol.
Foi aos dez minutos. Nei, no campo de defesa, foi desarmado por Rodríguez, que avançou livre em direção à área. Ele acionou Salazar, marcado de perto por Índio. O giro sobre o zagueiro colorado ocorreu com uma facilidade assustadora. Aí foi só desviar de Lauro.

O Inter tentou reagir. Celso Roth tirou Oscar (talvez em sua pior partida pelo Inter) e colocou Rafael Sobis. Também mandou Andrezinho a campo no lugar de Zé Roberto. Os gaúcho ao menos passaram a criar chances. Guiñazu desarmou, avançou com a bola e mandou o chute, mas o goleiro pegou. Sobis arriscou de longe, por cima. Andrezinho arriscou por cobertura, mas o goleiro espalmou.

Roth ainda fez troca de utilidade questionável. Tirou Bolatti, colocou Wilson Matias. Andrezinho, em cobrança de falta, obrigou o goleiro mexicano a trabalhar novamente. Cabeceio de Leandro Damião foi a chance derradeira do Inter em uma quarta-feira negativa para os colorados.

Notícias relacionadas