Indicador Ipea registra queda de 0,6% na demanda por bens industriais - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

17/09/2018


Indicador Ipea registra queda de 0,6% na demanda por bens industriais

Apesar do resultado, desempenho foi positivo em 15 de 22 segmentos da indústria de transformação, com destaque para os químicos e farmoquímicos

Foto: autor desconhecido.

Depois da alta de 10,2% em junho, o Indicador Ipea Mensal de Consumo Aparente de Bens Industriais apontou recuo de 0,6% em julho, na comparação com o mês anterior. O resultado foi puxado pela forte queda da indústria extrativa mineral (-19,8%) em julho – uma situação pontual, explicada em grande medida pelo aumento da parcela da produção nacional de petróleo destinada ao mercado internacional. Por sua vez, a indústria de transformação avançou 1,3% no mês, com 15 dos 22 segmentos apresentando desempenho positivo em julho frente a junho, com destaque para os segmentos de químicos (5,6%) e farmoquímicos (5,2%).

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 17, no blog da Carta de Conjuntura do Ipea. Na comparação com julho de 2017, o crescimento do indicador foi de 6,6%, superando a alta de 4% da produção industrial, medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado em 12 meses, a demanda manteve o ritmo de crescimento mais intenso (5,7%) que o apresentado pela produção industrial (3,2%).

Entre as grandes categorias econômicas, as maiores quedas de julho frente ao mês de junho foram nos bens de capital (-7,6%) e bens de consumo semi e não duráveis (-3,1%). O consumo aparente de bens intermediários foi a única categoria a não apresentar recuo, com pequena alta de 0,1%. Já na comparação com o mesmo mês de 2017, o crescimento foi generalizado, com destaque para o segmento bens de consumo duráveis (21,6%).

O bom desempenho setorial foi bastante disseminado em relação a julho de 2017, com 20 dos 22 segmentos registrando alta. Os destaques ficaram por conta do consumo aparente de veículos (27,8%) e metalurgia (13%). A maior oscilação negativa veio do consumo aparente de produtos alimentícios, que caiu 0,9%. Por fim, em relação ao resultado acumulado em 12 meses, 18 segmentos apresentaram variação positiva até o mês de julho.

O Indicador Ipea Mensal de Consumo Aparente de Bens Industriais é definido como a produção industrial doméstica, descontadas as exportações e acrescidas as importações.

ASCOM