Inaldo Leitão acha que Reforma Política não sai mais e condiciona futuro de Dirc - WSCOM

menu

Política

16/10/2005


Inaldo Leitão acha que Reforma

O deputado federal Inaldo Leitão está em João Pessoa para participar de debate sobre o Referendo acerca da comercialização de armas no Tribunal Regional Eleitoral. Ontem, ao WSCOM Online, ele falou que está convencido de que a Reforma Política exposta após as denúncias do Mensalão não vai mais prosperar até a eleição de 2006. No máximo, o TSE baixará novas regras. Ele disse ainda que o futuro do deputado federal José Dirceu e outros parlamentares dependerá de ir ou não plenário. “Se for, haverá cassação”.

Favorável ao item 1 do Referendo, isto é, pró – comercialização de armas, o deputado federal do PL tem ouvido das diversas lideranças no Congresso Nacional que, a dados de hoje, não há perspectiva de que a Reforma Política possa ser debatido e votado como se pretende.

– A tendência é o TSE construir algumas normas básicas em cima do que o debate já suscitou, a exemplo do impedimento de uso de brindes, showmicios, etc – questões restritivas ao abuso de poder – mas como macro reforma não vejo como possa passar hoje na Câmara Federal – adiantou.

Inaldo Leitão disse ainda que o clima na Câmara Federal é de possibilidade de cassação dos deputados citados pela Comissão de Ética, entre eles o deputado José Dirceu, mesmo entendendo que inexista comprovação da sua participação em atitudes desabonadoras, além dele à época ter a condição de Ministro, portanto, não estava na atuação parlamentar.

– Pelo que escuto, a tendência de cassação em plenário existe, por isso só se os processos não forem para lá, para o plenário, é que se teria a expectativa de não-cassação – declarou.

Notícias relacionadas