Hospitais municipais de JP realizam quase 8 mil cirurgias em 2018 - WSCOM

menu

Paraíba

30/12/2018


Hospitais municipais de JP realizam quase 8 mil cirurgias em 2018

Foto: autor desconhecido.

Os quatro hospitais da rede municipal de saúde de João Pessoa realizaram 276,3 mil atendimentos e 7,8 mil cirurgias no período de janeiro até outubro deste ano. O número representa uma média de 27,6 mil atendimentos e 780 procedimentos cirúrgicos realizados mensalmente.
 
A rede hospitalar do município de João Pessoa é composta pelo Complexo Hospitalar de Mangabeira Tarcísio de Miranda Burity (Ortotrauma), Hospital Municipal Santa Isabel (HMSI), Hospital Municipal Valentina (HMV) e Instituto Cândida Vargas (ICV).
 
Juntas, as quatro unidades possuem uma capacidade instalada de 540 leitos, entre clínicos, UTI e isolamento. Cerca de 40% do total de atendimentos corresponde a usuários oriundos de outros municípios. Esses usuários das regiões circunvizinhas são atendidos por meio da Programação Pactuada Integrada (PPI).
 
Ortotrauma – Só no Ortotrauma, foram realizados 124 mil atendimentos e aproximadamente 5,3 mil cirurgias também no período de janeiro até outubro deste ano. A unidade hospitalar é referência no Estado da Paraíba em cirurgia de urgência e emergência de áreas abaixo do cotovelo e abaixo do joelho.
 
De acordo com a diretora geral do Ortotrauma, Fabiana Araújo, os números são resultado de um trabalho integrado. “São conquistas da assistência hospitalar que fortalecemos ao longo do tempo, sendo um êxito de todo o corpo clínico e assistencial”, afirmou.
 
HMSI – O Hospital Municipal Santa Isabel (HMSI) realizou 29,3 mil atendimentos e 2,3 mil cirurgias também no período de janeiro até outubro deste ano. A unidade possui serviço especializado de cardiologia e conta ainda com outras especialidades como urologia, neurocirurgia, proctologia e mastologia.
 
O procedimento cirúrgico mais comum é a cirurgia geral, em especial a hernioplastia e colecistectomia (retirada da vesícula), procedimento ao qual se submeteu a telefonista Liliane Gomes. “Meu atendimento começou pelo ambulatório e o médico me encaminhou para a cirurgia. Até agora tenho sido muito bem assistida por toda a equipe”, disse.
 
Para ter acesso aos serviços oferecidos no local, o usuário deve ser encaminhado por outros serviços, como as unidades de pronto-atendimento (UPA), unidades de saúde da família (USF) ou outros hospitais. “Todos os profissionais envolvidos buscam diariamente executar os procedimentos com qualidade e responsabilidade para oferecer a melhor assistência aos pacientes”, explicou Yuzeth Nóbrega, diretora geral do HMSI.
 
HMV – Já o Hospital Municipal Valentina (HMV) registrou 99,5 mil atendimentos e 170 cirurgias de janeiro até outubro deste ano. A unidade atende crianças e adolescentes abaixo de 16 anos, sendo referência de assistência infantil na rede de urgência e emergência.
 
No serviço é realizado atendimento desde casos de menor complexidade até patologias mais graves, com disponibilidade de internações para tratamento clínico e assistência em terapia intensiva. “Mesmo com a grande demanda, o hospital está preparado para receber a população”, afirmou Carmen Gadelha, diretora geral do HMV.
 
ICV – No Instituto Cândida Vargas (ICV), foram realizados 5.073 partos até o mês de outubro, sendo 2.565 normais e 2.508 cesáreos. Além dos partos, a unidade registrou 23,5 mil atendimentos neste período. A unidade oferece serviço especializado de média e alta complexidade em atenção obstetrícia e neonatal.
 
De acordo com o diretor geral do ICV, Juarez Augusto, a maternidade vem construindo um novo modelo de atenção ao parto e nascimento, baseados na humanização do cuidado à saúde da mulher e do recém nascido. “Apesar de estarmos sempre com um grande volume de atendimentos, temos acolhido todas as gestantes que procuram o serviço, evitando a peregrinação das mesmas em busca de assistência”, comentou.