Homem mata esposa com requintes de crueldade em Patos - WSCOM

menu

Policial

30/06/2018


Homem mata esposa com requintes de crueldade em Patos

Foto: autor desconhecido.

Um crime praticado com requintes de crueldade foi registrado na cidade de Patos, no Alto Sertão do Estado. De acordo com a polícia, um rapaz trouxe a namorada de Campina Grande para morar em Patos e alugou um apartamento no Bairro do São Sebastião.

O casal teve uma discussão e num ataque de fúria matou a namorada com o golpe de gravata. Depois com ajuda do tio, ele conseguiu levar o corpo numa carroça de jumento dentro de um tambor com resto de comida “lavagem” para porcos e enterrou numa cova rasa no sítio da família na zona rural de Patos.

A polícia iniciou as investigações e buscas e na noite desta sexta-feira (29) o corpo de Valéria Ribeiro foi encontrado em avançado estado de decomposição no Sítio Martins. Os acusados pelo crime foram presos e indiciados pela Polícia Civil.

Segundo o delegado George Wellington, Valéria foi morta pelo companheiro, Kelvin, natural de Campina Grande, depois de uma discussão iniciada na segunda-feira onde a vítima teria tentado agredir seu companheiro e, em ação dele por meio de uma gravata, a mulher acabou morrendo. Após matar a companheira por enforcamento, Kelvin ocultou o cadáver juntamente com o seu tio Alan em uma área afastada da zona urbana, onde o corpo dela foi enterrado.

A polícia também está investigando se houve, no crime, a participação a amante de kelvin, uma vez que ele deixou a filha de cinco anos de idade sob os cuidados da mulher. Ela chegou a dá depoimento nesta sexta na delegacia, mas, foi liberada, uma vez que contribuiu para o desfecho desse caso e se mostrou desconhecedora dos crimes. Porém, a polícia a coloca na situação de suspeita.

Alan foi indiciado pela participação na ocultação do cadáver. Segundo delegado George Wellington, a pena prevista é de um a três anos de prisão. No caso de Kelvin, ele responderá pelo crime de feminicídio agravado devido à ocultação, com pena máxima de até trinta anos de prisão. O corpo de Valéria foi enviado para o IML de Campina Grande.

Notícias relacionadas