Hamas diz que luta armada vai continuar - WSCOM

menu

Internacional

13/08/2005


Hamas diz que luta armada

O grupo militante islâmico Hamas creditou a decisão israelense de sair da Faixa de Gaza à ” resistência” palestina e afirmou que vai continuar realizando ações armadas até “a liberação total das terras e locais sagrados palestinos”.

“O Hamas confirma que está comprometido com a luta armada. Esta é a nossa escolha estratégica até o fim da ocupação de nossa terra,” disse Ismail Haniya, um dos líderes do grupo.

A declaração foi feita na tarde deste sábado, em uma rara entrevista coletiva, que reuniu em um restaurante da cidade de Gaza os quatro fundadores do Hamas ainda vivos (outros três foram mortos em ações israelenses) e todos os principais líderes do grupo.

Os líderes do Hamas também afirmaram que não pretendem entrar em disputas com outros grupos palestinos, dando a entender que pretendem acatar a autoridade da AP, a Autoridade Palestina, presidida por Mahmoud Abbas.

“Não somos uma autoridade dentro da Autoridade e não nos consideramos acima da lei”, disse Haniya.

“Sangue palestino (derramado por palestinos) é proibido. Nossa luta é contra a ocupação sionista”, disse.

Choque

No mês passado militantes do Hamas e agentes da Autoridade Palestina entraram em choque em Gaza depois depois que a AP tentou prender alguns militantes islâmicos e tentou fazer valer sua autoridade na região de Gaza, onde o Hamas é preponderante.

Embora tenha declarado acatar a autoridade superior, Haniya deixou claro que o Hamas exige a formação de um auto conselho Palestino onde seu grupo teria participação ativa.

Haniya também disse que essa comissão deve decidir de que modo serão utilizadas as terras e a infraestrutura dos assentamentos que devem ser desocupados por Israel a partir de segunda-feira.

Notícias relacionadas