Greve de fome chega a 77 horas; TJ ainda não sinalizou com negociação - WSCOM

menu

Paraíba

16/03/2006


Greve de fome chega a

Com uma greve de fome que chega a 77 horas e um rosto abatido, pressão 12 por 8, e apesar do Tribunal de Justiça (TJ) ainda não ter sinalizado com nenhuma proposta ‘aceitável’ pelos serventuários, o presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Estado (Sojep), Benedito Fonseca, continua se mostrando irredutível da decisão de manter a abstinência.

Segurando um terço na mão direita, Fonseca disse ao Portal WSCOM Online que à noite estende colchonetes no chão para dormir e tem bebido uma água misturada com sais para não desidratar.

“O movimento continua estável, com apenas alguns casos isolados de furos”, garantiu o presidente, que continua tendo informes do movimento. Segundo Fonseca, os ‘furos’ advém de pressões normais e retaliações do TJ. “Disseram-me que as pessoas estão entrando para trabalhar, mas cruzando os braços”, salientou.

A greve segue com previsão de 90% de adesão no interior e cerca de 50% na Capital.

Fonseca disse que tem recebido apoio de partidos (PSOL, PT, PSDB e PDT), populares e entidades sindicais nestes dias. Além disso, o deputado federal Luiz Couto (PT) fez pronunciamento ontem, na Câmara Federal, sobre o movimento dos serventuários da Paraíba e a greve de fome do sindicalista.

Notícias relacionadas