Governo Lula recupera aprovação de 60%, de antes da crise, diz CNI/Ibope - WSCOM

menu

Política

13/06/2006


Governo Lula recupera aprovação de

Pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta terça-feira, dia da estréia do Brasil na Copa da Alemanha, identifica uma recuperação da confiança da população no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O número de entrevistados que considera o governo ótimo ou bom aumentou de 38%, em março, para 44% em junho.

Com esses índices, a confiança em Lula volta ao patamar de junho de 2003, o primeiro semestre depois da posse do presidente e dois anos antes da crise política deflagrada com as denúncias do mensalão. Em junho de 2003, 43% dos entrevistados consideravam o governo ótimo ou bom.

O percentual de eleitores que aprova a maneira como Lula governa subiu de 55%, em março, para 60% em junho, patamar semelhante ao registrado antes da crise política. A menor aprovação ao governo, de 45%, foi registrada em setembro de 2005. Além disso, a confiança no presidente aumentou de 53%, em março, para 56%, em junho. No período, o percentual dos que não confiam caiu quatro pontos percentuais, de 43% para 39%.

Os números da pesquisa Ibope realizada por solicitação da Confederação Nacional da Indústria (CNI) confirmam a tendência de avaliação positiva do governo apontada no levantamento de março.

A pesquisa ouviu 2.002 eleitores em 143 municípios, de 5 a 7 de junho. Segundo a pesquisa, a avaliação positiva do governo cresceu em todas as regiões do país. O único segmento da população em que a aprovação a Lula caiu foi entre os eleitores que recebem mais de dez salários mínimos. Em março, a porcentagem de eleitores dessa faixa de renda que considerava o governo ótimo ou bom era de 35%. Em junho, oscilou para baixo, para 32%.

A melhor avaliação do governo Lula, de 49% de ótimo e bom, e a mais expressiva aprovação (68%) vêm da população com renda familiar de até um salário mínimo. Entre a população mais rica, que recebe mais de 10 salários mínimos mensais, a avaliação ótimo ou bom (32%) empata tecnicamente com a ruim ou péssimo (34%) e também com a regular (33%).

São perguntas distintas feitas ao entrevistado. Na primeira, a questão é: “Na sua avaliação, o governo do presidente Lula está sendo…”, a que correspondem as respostas “ótimo ou bom”, “ruim ou péssimo”, “regular” e “não sabe”. Para medir a aprovação, o Ibope indaga: “O sr. aprova ou desaprova a maneira como o presidente Lula está governando o Brasil?”. Neste caso, as respostas são “aprova”, “desaprova” ou “não sei”.

A aprovação ao governo também é mais alta, de 68%, entre as pessoas com grau de instrução até a quarta série do ensino fundamental. De acordo com a pesquisa, 50% dos eleitores desta faixa consideraram o governo ótimo ou bom em junho. No segmento com ensino superior completo, a avaliação do governo melhorou. Em junho, 33% das pessoas com curso superior completo ou mais consideravam o governo como ótimo ou bom, ante os 29% registrados em março.

A região Nordeste ainda se destaca como a que apresenta maior número de eleitores (53%) que acham o governo bom ou ótimo. Entretanto, a pesquisa CNI-Ibope mostra que o maior avanço na avaliação positiva ocorreu na região Sudeste. Hoje, 43% da população consideram o governo ótimo ou bom, ante os 35% de março. Na região Sul, 36% dos entrevistados dão a melhor avaliação para o governo, enquanto 38% consideram-no apenas regular e 25%, ruim ou péssimo.

A nota média para o governo Lula subiu para 6,4 em uma escala de zero a dez. Essa avaliação é similar aos 6,3 conferido pelos eleitores em março de 2005, antes da crise política. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.