Governo Federal prepara “Plano Mansueto” para aliviar estados; João Azevêdo saí na frente - WSCOM

menu

Política

10/05/2019


Governo Federal prepara “Plano Mansueto” para aliviar estados; João Azevêdo saí na frente

A proposta será entregue ao governador da Paraíba na próxima semana.

Na imagem, governador João Azevêdo

Durante reuniões em Brasília, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e o ministro da Economia, Paulo Guedes, disseram que irão apresentar na próxima semana o plano do secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, que promete que “vai salvar os Estados”. A proposta será entregue ao governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), além dos demais governadores.

 

O secretário citou que os governadores terão que fazer o seu dever de casa para terem acesso ao programa que o ministro da Economia, Paulo Guedes, batizou informalmente de “Plano Mansueto”.

 

“Para acessarem o programa, o governador terá que mostrar que conseguirá recuperar nota de crédito do Estado junto ao Tesouro nos quatro anos de seu mandato”, enfatizou.

 

Saúde fiscal da Paraíba

A paraíba, que vem com a saúde fiscal em dia, desde a gestão de Ricardo Coutinho, não deve enfrentar problemas.  As gestões não atraso nas folhas de pagamento, além de pagar aos servidores públicos dentro do mês trabalhado consecutivamente durante as três gestões. Outro fator que pesa ao lado do governador João Azevêdo é que a Paraíba, que é classificado como B na escala de capacidade de pagamento, hoje se encontra em posição favorável para receber garantias da União e obter novos empréstimos.

 

LEIA MAIS: Paraíba é destaque nacional e fica em posição favorável para receber garantias da União em obter novos empréstimos

 

Leilão do excedente de petróleo

Mansueto disse ainda que o governo federal ainda não decidiu o porcentual do bônus de assinatura do leilão do excedente de petróleo na área da cessão onerosa que será dividido com Estados e municípios. O valor a ser arrecadado pela União no leilão é estimado em R$ 106 bilhões e parte será usada para pagar a Petrobras.

 

“Haverá um grande aumento na arrecadação de royalties e participação especial na exploração do petróleo nos próximos anos e o governo também está pensando em forma de dividir parte disse com Estados e municípios”, completou o secretário.

 

LEIA MAIS: Em Brasília, João Azevêdo recebe garantias do ministro Dias Toffoli sobre judicialização na Saúde