Governador do Maranhão aponta artigo provando que ministro abusa contra Lula - WSCOM

menu

Política

09/09/2018


Governador do Maranhão aponta artigo provando que ministro abusa contra Lula

Foto: autor desconhecido.

O governador do Maranhão, Flávio Dino, que também é juiz e passou em primeiro lugar no mesmo concurso prestado por Sergio Moro, diz que o ministro Luis Roberto Barroso age à margem da Lei da Ficha Limpa, ao censurar a palavra “Lula” nos programas eleitorais do PT. “O mais incrível é que tal decisão ignora LEI EXPRESSA e CLARA, que determina exatamente o contrário: ‘Art. 16-A. O candidato cujo registro esteja sub judice poderá efetuar todos os atos relativos à campanha eleitoral…’”, escreveu Dino.

Neste domingo, depois de afrontar o Comitê de Direitos Humanos da ONU, que determinou ao Brasil que garantisse os direitos políticos de Lula, mantido como preso político para não disputar uma eleição que ele venceria com facilidade, o ministro Luis Roberto Barroso acaba de tomar mais uma decisão inusitada: censurou a palavra Lula nos comerciais do PT.

“Luís Roberto Barroso acaba de mandar que o PT tire qualquer referência ‘escrita, oral, pictográfica ou gráfica’ à candidatura de Lula da propaganda, para não induzir o eleitor ao erro. O partido também não pode manifestar apoio a Lula em nenhuma peça da propaganda nem de nenhuma candidato da coligação”, informa o colunista Lauro Jardim.

O objetivo é impedir a natural transferência de votos de Lula para Haddad, que seria a reação natural dos eleitores, diante da violência institucional que vem sendo cometida por setores do Poder Judiciário. A derrota do PT, que promete regular os meios de comunicação, interessa sobretudo à Globo e também às petroleiras internacionais, que estão levando de bandeja o pré-sal.

Confira, abaixo, o tweet de Flávio Dino:

 

Flávio Dino 65

@FlavioDino

O mais incrível é que tal decisão ignora LEI EXPRESSA e CLARA, que determina exatamente o contrário: “Art. 16-A. O candidato cujo registro esteja sub judice poderá efetuar todos os atos relativos à campanha eleitoral…”

JOTA

@JotaInfo

Em nova decisão, Barroso afirma que propaganda de campanha do PT à presidência pode ser suspensa se a coligação insistir em mostrar Lula como candidato. Ministro do TSE afirmou que coligação insiste em descumprir decisão do tribunal, que rejeitou registro de Lula.