Gervásio ressalta propósito de conciliar atividades da ALPB com o período eleitoral - WSCOM

menu

Política

16/02/2018


Gervásio ressalta propósito de conciliar atividades da ALPB com o período eleitoral

Segundo Gervásio, uma agenda especial será montada para que todas as votações sejam realizadas

Foto: autor desconhecido.

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Gervásio Maia (PSB), declarou nesta quinta-feira (15), durante a abertura das atividades da Casa, no auditório do Ministério Público da Paraíba (MPPB), que a prioridade é conciliar as atividades legislativas com o período eleitoral. Ele ressaltou a importância da cessão do plenário da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), para que as atividades ocorreram sem intempéries.

“Graças a Deus, isso estava me deixando muito aflito. Conseguimos com Marcos Vinicius o plenário da Câmara Municipal para realização das nossas sessões, que acontecerão normalmente nas terças, quartas e quintas no período da tarde. Fiquei feliz pois isso era um problema, em um ano de eleição e você sem Assembleia, mas a solução foi dada”, comentou.

Ele ressaltou a importância da presença dos colegas legisladores durante as sessões. Segundo Gervásio, uma agenda especial será montada para que todas as votações sejam realizadas.

“Todos sabem da responsabilidade que tem, vamos montar uma agenda que permita a realização das votações, vamos conseguir cumprir o regimento”, continuou.

Obras na Casa

Ainda segundo o presidente, as obras do Plenário da Assembleia devem ser finalizadas ao final de abril. Ele revelou ainda que novas intervenções devem ser realizadas em prédios anexos, e findou a possibilidade de mudança de sede para fora do Centro de João Pessoa.

“São quatro meses de obras, conseguimos começar uma semana antes do início do recesso, e acho que ao fim do mês e abril teremos concluído. Nós vamos começar a terceira obra agora nos próximos dias, a Assembleia comprou prédio próximo ao Banco do Brasil, e vamos ter alguns anexos, e um novo estacionamento, para sepultar a falta de estacionamento e a conversar de sair da Praça dos Três Poderes, o que mataria o nosso Centro Histórico”, finalizou.

Notícias relacionadas