Fred Coutinho reage: ‘governador quebrou tradição no Ministério Público’ - WSCOM

menu

Política

10/08/2005


Fred Coutinho reage: ‘governador quebrou

O promotor Fred Coutinho, preterido na escolha do governador Cássio Cunha Lima para ocupar a chefia da Procuradoria de Justiça do Estado, revelou agora que respeita a decisão do Palácio da Redenção, mas lamenta que tenha havido ‘uma quebra da tradição’ no Ministério Público paraibano. Até a nomeação da procuradora Janete Ismael, segunda colocada na eleição interna do MP, todos os mais votados pelos pares do MP haviam sido homologados no posto de chefe. Coutinho recebeu 124 votos contra 122 de Janete Ismael.

‘Não quero acreditar que haja problema pessoal ou político em relação a mim’, disse Coutinho. Ele revelou que o governador Cássio Cunha Lima recebeu ofício da Associação Nacional do Ministério Público solicitando que fosse respeitado o princípio de nomear para a chefia do MP o mais votado na lista tríplice. ‘Essa é uma luta nacional’.

Para Coutinho, o governador perdeu a oportunidade de fazer história. ‘Ele estaria nomeando o primeiro promotor como procurador geral de Justiça da Paraíba’. A escolhida é procuradora.

Para entender

O governador Cássio Cunha Lima tinha o direito constitucional de escolher entre os três mais votados – Fred Coutinho (124 votos), Janete Ismael (122 votos) e Alexandre César (121 votos). Não feriu, portanto, as regras legais da eleição do Ministério Publico ao deixar de homologar o nome do mais votados.

O governador, aliás, foi quem sancionou as novas regras de eleição no Ministério Publico Estadual. Mudança que passou a valer desde 2003.

As eleições no Ministério Público do Estado ocorrem dia 27 de julho e os três mais votados são considerados de oposição.

– O Ministério Público vive um novo momento, não só com o resultado da eleição da Oposição, mas pelo processo continuado que gerou este resultado de agora – declarou na época o presidente da Associação do Ministério Público do Estado e também eleito , Alexandre César, dizendo que “defendemos que a partir de agora tenhamos uma atuação mais forte nas investigações processuais na cidade”.

Notícias relacionadas