Forças prendem presidente que se recusa a deixar o poder na Costa do Marfim - WSCOM

menu

Internacional

11/04/2011


Presidente da Costa do Marfim é preso

Prisão

Foto: autor desconhecido.

Após meses de indefinição política, a crise que se instaurou na Costa do Marfim no final de novembro parece ter chegado a um desfecho com a prisão nesta segunda-feira (11) de Laurent Gbagbo, o presidente que se recusava a deixar o poder, informaram a agência de notícias Reuters e os jornais Le Figaro e The Guardian.

Gbagbo perdeu as eleições para Alassane Ouattara, reconhecido como presidente de direito da Costa do Marfim, e se recusou a deixar o poder. Após meses de impasse, forças leais a Ouattara se deslocaram do norte do país em direção ao sul para tentar retirar Gbagbo do poder.

O Figaro informou que Gbagbo foi preso por forças especiais francesas e entregue aos chefes da rebelião liderada por Ouattara, de acordo com o representante de Gbagbo na Europa, Toussaint Alain. A agência Reuters conversou com uma fonte diplomática francesa, que negou que militares do país tenham prendido Gbagbo.

No entanto, ao contrário do declarado pelo partidário de Gbagbo, o porta-voz de Ouattara disse que o presidente que se recusava a deixar o cargo foi preso por forças de Ouattara, com o apoio dos franceses e da ONU (Organização das Nações Unidas).

Uma testemunha ouvida pelo jornal francês relatou que havia a presença de homens a serviço de Ouattara na residência de Gbagbo na maior cidade do país, Abidjã.

Pela manhã, helicópteros franceses da força Licorne voltaram a atingir a residência, que conta com um bunker no qual se supunha que Gbagbo, sua mulher e membros de sua família estivessem.

A operação que terminou na prisão de Gbagbo começou neste domingo (10) à tarde com operações para neutralizar o arsenal de defesa do líder. O Figaro relata que houve ruído de disparos durante toda a noite, que deu lugar a uma manhã relativamente calma na casa, mas com combates em outros locais da cidade.

Outros alvos da atual ofensiva são o palácio presidencial, a sede da rádio e TV estatais, e instalações militares.

Gbagbo foi levado para “quartel-general” de Ouattara

Após a prisão, Gbagbo foi levado para o hotel Golf, na mesma cidade, onde Ouattara se refugiou ainda em dezembro, informou a Reuters. O local é considerado o “quartel-general” do presidente eleito.

A agência de notícias France Presse informou que, além de Gbagbo, sua mulher, Simone, também foi levada ao local. Ambas as agências creditam a informação ao porta-voz de Ouattara em Paris, Hervé Cohx.

Notícias relacionadas