Fome faz cada vez mais vítimas no mundo, diz ONU - WSCOM

menu

Internacional

16/10/2005


Fome faz cada vez mais

O diretor do Programa Alimentar Mundial da Organização das Nações Unidas (ONU), James Morris, afirmou que o número de pessoas afetadas pela fome crônica no mundo está aumentando e já provoca mais mortes do que a Aids, a malária e a tuberculose juntas.

Em um pronunciamento para marcar o Dia Mundial da Alimentação, neste domingo, Morris disse ainda que alimentar as cerca de 100 milhões de crianças que estão passando fome no mundo custa menos do que os países desenvolvidos gastam a cada ano em subsídios agrícolas.

O programa da ONU estima que, somente neste ano, quase 6,2 milhões de pessoas tenham morrido por causa da fome e da desnutrição.

Além disso, segundo Morris, depois de décadas de avanços na batalha contra a fome, o mundo está “voltando a perder terreno”.

África – A desnutrição é um problema gravíssimo que atinge várias partes do mundo, da Coréia do Norte ao Afeganistão ou ao Haiti. Mas é na África Sub-saariana que o drama é mais sentido.

Depois da recente crise no Níger, as atenções agora se voltam para o sul do continente africano. A ONU calcula que 12 milhões de pessoas – a maioria delas no Malauí e no Zimbábue – vão precisar de doações de alimentos no ano que vem. A colheita deste ano no Malauí foi a pior em mais de uma década.

Notícias relacionadas