Focco está atento a eleitor que vende voto e diz: ‘prática não tem beneficiado c - WSCOM

menu

Política

12/05/2008


Focco está atento a eleitor

Mesmo antes das convenções municipais, já há políticos decididos a concorrer nas eleições deste ano, seja para prefeito ou para vereador. E, com isso, o antigo costume de oferecer benefícios em troca de votos se prepara para uma nova rodada.

Mas quem pensa que essa prática é sucesso garantido, pode levar uma surra das urnas. Para o presidente do Fórum Paraibano de Combate à Corrupção (Focco), advogado João Ricardo Coelho, nem sempre a venda está surtindo o efeito desejado para determinados políticos.

“Já conheci eleitores que receberam kits de cestas básicas, camisetas, dinheiro e afirmaram, conscientemente: ‘não vou votar nele não!’. Ou seja: eles aceitaram as ofertas dos candidatos por necessidade, mas decidiram o voto de modo consciente, minimizando a corrupção”, disse.

Mas a experiência relatada pelo advogado não é, nem de longe, a recomendada pelo Focco. “O voto não tem preço. Tem consciência. O que nós estamos trabalhando é a conscientização para que o voto seja consciente, sem essa prática de comprar ou vender votos”, completou.

Para isso, o Tribunal Superior Eleitoral vem lançando a campanha “Nós estamos de olho”, para alertar os eleitores sobre os resultados apresentados pelos candidatos eleitos, e as Igrejas estão também fazendo o alerta aos fiéis, para que não se deixem enganar por políticos sem propostas, que conseguem votos apenas à base de doações.

“Também estamos reavaliando os registros de candidatura de políticos que estão respondendo a processos na Justiça, porque uma folha penal corrida não combina com um trabalho sério no poder público”, alegou Coelho.

Notícias relacionadas