Flu vira para cima do Botafogo e volta ao G-4 - WSCOM

menu

Mais Esporte

16/10/2005


Flu vira para cima do

Pela segunda vez seguida no Campeonato Brasileiro, o Fluminense conseguiu uma virada emocionante e venceu o Botafogo por 3 a 2 na tarde deste sábado, em Volta Redonda.

O Botafogo foi melhor durante quase toda a partida, sufocou o Fluminense, mas, com Alex Alves em tarde apagada e com três jogadores de marcação no meio-campo, desperdiçou muitas chances no ataque.

Sem Felipe, cujo contrato será rescindido nos próximos dias, o Fluminense esteve perdido e foi envolvido pelo adversário. O técnico Abel Braga não colocou em campo a anunciada formação ofensiva e optou por Radamés no meio-campo.

O jogador, escalado de última hora, foi o destaque negativo da equipe das Laranjeiras e falhou na marcação de Reinaldo nos dois gols do Botafogo. Além disso, foi expulso, deixando o Fluminense com um homem a menos durante quase todo o segundo tempo.

“Não justifica o que o Radamés fez. Não teve intenção, mas levantou demais o pé. Ele já tinha amarelo e o alertamos no vestiário”, reclamou o técnico Abel Braga, que, dessa vez, disse ter gostado da virada: “nunca abdicamos da vitória e valeu pela reação. Não sei se ela foi justa, mas foi merecida”.

Com a vitória, o Fluminense passou a somar 54 pontos, ultrapassou três adversários na tabela e, ao menos até a conclusão da rodada, está na terceira colocação, na zona de classificação para a Libertadores.

Já o Botafogo, que não teve em campo o meia Ramon, afastado do elenco principal por problemas disciplinares, permanece com 40 pontos, na 13ª posição, fora até da zona da Sul-Americana.

A derrota representou uma crise geral no Botafogo. Este foi o sétimo jogo seguido que o time de General Severiano passa sem saber o que é uma vitória. O último triunfo botafoguense foi conquistado sobre Goiás (3 a 1) no dia 18 de setembro, há quase um mês.

Mas os jogadores deixaram o campo mais preocupados com a arbitragem, que foi duramente criticada. Para o zagueiro Scheidt, os xingamentos e as vaias que a torcida disparou contra o técnico Celso Roth e contra o time deveriam ser direcionadas ao árbitro Leonardo Gaciba.

“O maior problema hoje [sábado] não foi o time, e sim os gols do Fluminense. Os dois não foram legais, o segundo não foi pênalti e no último o Tuta estava impedido. Essas coisas só acontecem com o Botafogo”, reclamrou o defensor.

Na próxima quarta-feira, o Botafogo terá outro clássico pela frente. O jogo contra o Vasco, às 20h30, em São Januário é a reprise da partida que foi anulada em virtude do escândalo da arbitragem. O compromisso é válido pela terceira rodada do Brasileirão.

Pelo Nacional, o Fluminense só voltará a jogar na sexta-feira, quando enfrentará o São Caetano, às 20h30, no estádio Anacleto Campanella. Antes disso, entrará em campo, nesta terça, pela Copa Sul-Americana. O jogo contra o Universidad Católica-CHI, em São Januário, será o primeiro das quartas-de-final da competição.

O jogo

O Botafogo, que foi a campo com três volantes, começou a partida tentando pressionar o Fluminense na defesa e criou a primeira boa chance, aos 9min. Após bom passe de Zé Roberto (o único meia de criação nato), Rogério Souza recebeu na área e chutou rasteiro para defesa segura de Kleber.

Aos 30min, o Fluminense teve oportunidade clara para abrir o marcador. Após falhas de Emerson e Jonílson, Tuta ficou com a bola e tocou para Petkovic, livre na esquerda. O meia avançou um pouco e, da entrada da área, tentou colocar no canto esquerdo de Max, mas a bola saiu rente à trave.

Mas, aos 34min, foi o Botafogo que abriu o placar. Alex Alves cobrou escanteio pela direita, Reinaldo subiu mais que Radamés e cabeceou com precisão. Kleber se esticou, mas a bola entrou no alto, fora do seu alcance.

A vantagem botafoguense durou apenas dois minutos. A torcida ainda comemorava quando viu Petkovic cobrar falta pela direita na cabeça de Gabriel Santos. Livre de marcação, o zagueiro acertou o canto esquerdo do gol de Max, empatando o clássico.

Aos 39min, o Botafogo quase marcou o segundo. Após falta de Marcão em Alex Alves, o próprio atacante cobrou com categoria, mas a bola bateu no travessão. Na saída para o intervalo, o jogador alertou o time para não cometer os mesmos erros do jogo contra o Cruzeiro. “A gente merecia um melhor resultado, mas não podemos fazer como da outra vez, em que jogamos bem e demos a vitória ao adversário”, disse Alex Alves.

O segundo tempo começou quente e, depois de pressionar, o Botafogo marcou o gol aos 4min. Juca aproveitou um rebote e tocou para o meio da área. Radamés falhou na marcação e deixou Reinaldo livre. O atacante avançou e, na saída do goleiro, tocou para o fundo das redes.

A vantagem botafoguense no placar passou a ser refletida também no número de jogadores em campo. Pouco depois do segundo gol do Botafogo, Radamés levantou demais o pé e acertou o rosto de um adversário. Pelo lance, o jogador do Flu recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.

Com um a mais em campo, os comandados de Celso Roth foram amplamente superiores na segunda etapa, mas pecaram nas finalizações. Em um contra-ataque do Flu, Petkovic tocou para Tuta, que sofreu pênalti de Max. Na cobrança, Gabriel deslocou o goleiro e empatou o jogo: 2 a 2.

O inesperado aconteceu quando, aos 34min, o Fluminense chegou à virada. Depois de uma disputa na intermediária, Gabriel tocou de calcanhar para Tuta, que entrou pela direita e chutou no canto direito de Max.

FLUMINENSE

Kleber; Gabriel Santos, Igor e Marcão; Gabriel, Radamés, Arouca, Petkovic e Juan (Lino); Adriano Magrão (Beto (Lenny)) e Tuta

Técnico: Abel Braga

BOTAFOGO

Max; Emerson, Scheidt e Leandro Carvalho; Rogério Souza, Jonilson, Juca (Gláuber), Zé Roberto e Bill (Caio); Reinaldo e Alex Alves (Ricardinho).

Técnico: Celso Roth

Local: estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ)

Árbitro: Leonardo Gaciba (Fifa/RS)

Assistentes: Paulo Ricardo Silva Conceição (RS) e José Otávio Dias Bitencourt (RS)

Cartões amarelos: Juca (B), Radamés (F), Gabriel Santos (F), Max (B), Marcão (F), Leandro Carvalho (B)

Cartão vermelho: Radamés (F)

Gols: Reinaldo, aos 34min, Gabriel Santos, aos 36min do primeiro tempo; Reinaldo, aos 4min, Gabriel, aos 29min, e Tuta, aos 34min do segundo tempo

Notícias relacionadas