Flores Baldias lançam o EP Quebrando o Concreto - WSCOM

menu

Entretenimento

10/02/2019


Flores Baldias lançam o EP Quebrando o Concreto

Foto: autor desconhecido.

Acontece no próximo dia 17 de fevereiro, domingo, o lançamento do EP “Quebrando o Concreto”, da banda paraibana Flores Baldias. O evento contará com participações de Arthur Pessoa, integrante da banda Cabruêra, e terá abertura com a dupla Groove da Gota. O lançamento se inicia às 18h30, na Vila do Porto, no Centro Histórico de João Pessoa. A entrada é gratuita.

A banda Flores Baldias nasce da inquietação entre amigos por produzir e expor seus trabalhos autorais. A união entre eles amadureceu este projeto artístico, que vem tomando forma a cada etapa. Tendo sua primeira formação ocorrido em 2015, de lá para cá a banda passou por diversos formatos. Hoje, é composta por Mateus Alberto (voz e baixo), Jordão Ribeiro (voz e guitarra), Chaves Paixão (voz e violão), Emmanuel Tavares (percussão) e Mikael Lopes (percussão).

O trabalho do grupo é marcado por fortes influências regionais, buscando um constante diálogo com outras amplas manifestações musicais. Sua musicalidade transita do xote ao groove, do baião ao flamenco, do coco de roda ao rock’n roll. Com os pés fincados em suas raízes culturais, seus integrantes não se furtam de mergulhar intensamente na música do mundo, promovendo diálogos estéticos com os mais variados gêneros musicais, tendo como pano de fundo as marcas nordestinas que trazem no som e no sonho.

Neste balaio sonoro, a poesia se faz presente para dar voz a todos os conflitos, inclinações, paixões e revoltas de uma juventude que, através da amizade e da arte, gera seus próprios modos de resistência em tempos de forte intolerância. Com letras marcantes, o grupo aborda temas da sua vivência enquanto jovens nordestinos, cujos sonhos que os acompanham são, ao mesmo tempo, simples e ousados.

Em 2017, a Flores Baldias aprovou o projeto de gravação de seu primeiro EP, “Quebrando o Concreto”, no Fundo Municipal de Cultura (FMC), da Prefeitura Municipal de João Pessoa. O disco conta com seis músicas, sendo uma delas um trabalho instrumental construído coletivamente por todos da banda. Em janeiro deste ano, o grupo lançou o clipe da música “Livre acesso à cultura”, uma das principais canções que será trabalhada ao longo de 2019.

Gravado no Estúdio Peixeboi, o disco teve a produção musical de Marcelo Macedo e Hugo Limeira, que também atuaram como técnicos de gravação junto com Teo Filho. A realização do projeto ficou por conta da produtora Parahybólica Cultural, sob produção executiva de Alexandre Santos e Luzia Costa. A produção audiovisual é assinada por Abraão Bahia Lima e a identidade visual, pelo designer gráfico Silvio Sá.

“Quebrando o Concreto” chega agora aos ouvidos do público paraibano para reforçar o projeto do grupo para este ano. A banda agora se prepara para circular com seu primeiro trabalho e para formar novos públicos. Para isso, tem se apresentado em diversas casas de show de João Pessoa.


Arthur Pessoa

 

O músico campinense, Arthur Pessoa, é o convidado da noite. O líder da banda paraibana Cabruêra subirá ao palco para dividir algumas canções com a Flores Baldias, numa parceria que nasce da admiração do grupo pela trajetória deste músico e sua banda. A Cabruêra é um dos grupos musicais mais ativos do cenário musical paraibano, trazendo na bagagem inúmeras circulações nacionais e internacionais, além de discos de referência, que se aprofundam na cultura popular nordestina.


Groove da Gota

 

Confirmado para o show de abertura, o projeto Groove da Gota nasceu em 2016, apresentando uma performance musical bem diversificada de world music (música do mundo), juntamente com as produções dos DJs que buscam desenvolver um trabalho utilizando as batidas das músicas eletrônicas para dar um toque diferenciado a canções da cultura popular brasileira, como coco de roda, toré, ciranda, carimbo, entre outras. O projeto é formado pelos DJs SubZero (Adailson Araújo) e Topz S.A (Topázio Gabriel), que trazem não só boas músicas, mas também dois personagens bem diferentes e irreverentes, cuja performance expõe o hibridismo estético que propõem.