Fla tenta se ''reinventar'' sem quarteto invicto no ano - WSCOM

menu

Futebol

01/09/2018


Fla tenta se ”reinventar” sem quarteto invicto no ano

Cuéllar já não joga diante do Ceará. Ele e Lucas Paquetá ainda defendem suas seleções nos próximos jogos. Ao lado de Diego e Éverton Ribeiro, os quatro não perderam no ano

Foto: autor desconhecido.

O último mês foi de um Flamengo que oscilou mais do que esperado. Entre exibições boas e ruins, apenas um fato segue mantido em 2018: com o quarteto titular formado por Cuéllar, Lucas Paquetá, Diego e Éverton Ribeiro, o Rubro-Negro não perdeu uma partida sequer. A força deste grupo de protagonistas é nítida e já foi enaltecida algumas vezes pelo técnico Maurício Barbieri.

No entanto, é hora de ligar novamente o sinal da alerta. Nos últimos jogos, sem pelo menos um dos quatro, o Rubro-Negro não teve boas atuações e perdeu pontos. A partir deste domingo, serão pelo menos quatro jogos sem o quarteto completo – três pelo brasileiro e um pela Copa do Brasil.

Explica-se: neste domingo, diante do Ceará, Cuéllar cumpre suspensão (foi expulso no último jogo). Depois da rodada deste fim de semana, tanto o colombiano quanto Lucas Paquetá estarão com suas seleções.

Com Cuéllar, Paquetá, Diego e Éverton Ribeiro foram nove vitórias do Flamengo. Sete empates. Nenhuma derrota. Os últimos jogos sem algum deles mostra o poder da ausência:

  • Cuéllar não atuou contra o São Paulo (Brasileirão) – Flamengo perdeu de 1 a 0.
  • Paquetá não atuou contra o Cruzeiro (Libertadores, ida) – Flamengo perdeu de 2 a 0.
  • Diego esteve fora diante de Atlético-PR e Grêmio (Brasileirão) – Flamengo perdeu de 3 a 0 e 2 a 0, respectivamente.

Os quatro estiveram em campo na vitória do Flamengo sobre o Cruzeiro, na última quarta, por 1 a 0, no Mineirão. Apesar do triunfo fora de casa, a equipe não conseguiu reverter placar adverso do jogo de ida (2 a 0).

– Os quatro são muito importantes, os números demonstram isso com relação a gols e assistências – resumiu o treinador.

Mas… e sem eles?

Em um calendário apertado onde lesões, suspensões e convocações costumam desfalcar as equipes, o Flamengo não tem mantido a mesma regularidade quando perde essas suas peças consideradas chaves. O histórico recente mostra, inclusive, que ainda não há substitutos certos para cada um deles:

  • Na derrota para o Atlético-PR, Barbieri optou por utilizar Willian Arão na vaga de Diego.
  • Diante do Cruzeiro em casa, Jean Lucas foi eleito substituto de Lucas Paquetá.
  • Sem Cuéllar contra o São Paulo, foi Rômulo que voltou a ganhar oportunidade.

Vale lembrar que houve uma vitória, em julho, sem um dos quatro. Diante do Botafogo, Éverton Ribeiro cumpriu suspensão. Foi substituído por Matheus Sávio. E o Flamengo venceu por 2 a 0.

No duelo diante do Ceará, a tendência é que Piris da Motta seja o substituto direto de Cuéllar. O Flamengo ainda terá o desfalque do zagueiro Léo Duarte, também suspenso. Rhodolfo é quem deve começar jogando. O jogo será às 11h (de Brasília), no Maracanã, neste domingo.

Atualmente, o Flamengo ocupa a terceira colocação na tabela do Brasileirão, com 41 pontos. Está a um ponto do Internacional, vice-líder, e quatro pontos do São Paulo, líder. O Ceará, por sua vez, está na vice-lanterna da competição, com 17 pontos.

Notícias relacionadas