Feira de Taperoá termina com pedido à Unesco para caprinocultura ser patrimônio imaterial - WSCOM

menu

Paraíba

25/11/2018


Feira de Taperoá termina com pedido à Unesco para caprinocultura ser patrimônio imaterial

Foto: autor desconhecido.

Ao discursar na abertura (foto) da XXII Expofeira Taperoá, que termina neste domingo (25), o secretário estadual de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Rômulo Montenegro, sugeriu ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) que interceda junto à Unesco, órgão das Nações Unidas, para a caprinocultura, a mais tradicional e importante vocação econômica da região semiárida do Cariri Paraibano, seja reconhecida como patrimônio cultural imaterial (ou intangível) do Brasil e, por consequência, da Humanidade.

A título de ilustração, frise-se que “Patrimônio cultural imaterial” abrange as expressões culturais e as tradições que um grupo de indivíduos preserva em respeito da sua ancestralidade, para as gerações futuras. São exemplos de patrimônio imaterial: os saberes, os modos de fazer, as formas de expressão, celebrações, as festas e danças populares, lendas, músicas, costumes e outras tradições.

Também na abertura da Expofeira, Montenegro reivindicou, ao Governo Federal, uma política pública diferenciada, principalmente no aspecto tributário, que beneficie os agropecuaristas do Nordeste, “região sacrificada, que não tem como suportar encargos que atingem até 40% do valor dos seus produtos”. E acrescentou: “Se essa medida for tomada, o Nordeste com certeza será a ‘bola da vez’, em termos de crescimento econômico, entre todas as regiões brasileiras”.

O evento foi prestigiado pelo prefeito de Taperoá, Jurandir Gouveia; secretários e vereadores municipais; os presidentes do Sistema Faepa-Senar (Federação da Agricultura e Serviço Nacional de Aprendizado Rural), Mário Borba, da Associação Brasileira dos Criadores de Caprinos (ABCC), Arlindo Ivo, da Associação Paraibana dos Criadores de Caprinos (Apacco), Pedro Martins, parceiro do Governo do Estado e do Sistema Faepa-Senar, e da Organização das Cooperativas do Brasil na Paraíba (OCB PB), André Pacelli; pesquisadora Lia Coelho, estudiosa dos pelos finos de caprinos paraibanos; e dezenas de produtores rurais da Paraíba, como Suetônio Vilar, e de outros estados do Nordeste.

No sábado (24), Lia Coelho fez uma palestra destinada a criadores sobre o resultado da sua pesquisa sobre pelos finos de cabras da Paraíba e de outros estados do Nordeste, considerados por ela de qualidade superior.