Fechado para pousos, Congonhas fica sem avião para decolagens - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

24/07/2007


Fechado para pousos, Congonhas fica



Nenhum avião chega ao aeroporto desde as 11h05, por causa da baixa visibilidade

Duas horas e meia depois de fechar para pousos, o Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, já não tinha aeronaves disponíveis para decolagens às 13h45 desta terça-feira (24), de acordo com a Infraero.

Embora o aeroporto ainda esteja aberto para as partidas, há apenas aviões de pequeno porte e helicópteros saindo do terminal. Essa aeronaves já estavam na pista antes da restrição para aterrissagens, às 11h05.

A assessoria de imprensa da TAM informou por volta das 14h30 desta terça-feira que todas as operações da empresa em Congonhas estão suspensas até as 18h. O número de vôos afetados pela medida ainda não foi informado pela empresa.

Das 6h às 14h, das 143 partidas previstas em Congonhas, 73 foram canceladas – ou 51%. A maior parte foi alternada para o Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, segundo a Infraero. Por causa disso, a situação ainda era tranqüila no saguão e nos corredores do aeroporto por volta das 13h50.

Até as 10h45, pelo menos 15 pousos tinham sido alternados para o Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo.

O aeroporto amanheceu fechado para aterrissagens e só abriu por volta das 8h50, com quase três horas de atraso. A abertura para decolagens ocorreu no horário normal, às 6h. O primeiro pouso, no entanto, só ocorreu às 8h56.

A única pista em funcionamento é a auxilar. A principal está fechada há uma semana, desde o acidente com o vôo 3054 da TAM.

Cumbica opera por aparelhos tanto para pousos como para decolagens desde as 7h15 por causa da chuva que atinge a região. Da meia-noite às 14h, das 160 decolagens programadas, 45 sofreram atrasos superiores a uma hora. Não houve cancelamentos, de acordo com a Infraero.

Na segunda-feira (23), a chuva que atingiu a cidade provocou o fechamento da pista auxiliar de Congonhas por quatro vezes, três delas entre as 10h25 e as 13h17. Os saguões e corredores ficaram lotados. Passageiros ficaram indignados. Aeronaves foram desviadas para outros aeroportos, pois os pilotos não quiseram arriscar o pouso em Congonhas.

Notícias relacionadas