Fábio falha, e Cruzeiro cede empate ao Atlético-PR no fim - WSCOM

menu

Mais Esporte

01/06/2006


Fábio falha, e Cruzeiro cede

O Cruzeiro vencia o Atlético-PR, até o final do jogo, quando aos 44min, Alan Bahia, acertou um chute de longe e empatou o jogo, em 1 x 1, nesta quarta-feira, no Mineirão, quebrando o seu rendimento de 100% como mandante. Foi um castigo para a Raposa, que recuou muito no segundo tempo e acabou permitindo o crescimento do adversário.

O Cruzeiro tentava a sua quinta vitória em casa em cinco jogos, para chegar a 20 pontos. Mas não conseguiu segurar o triunfo.O tropeço em casa fez com que acabasse a possibilidade de atingir a meta traçada por Paulo César Gusmão de chegar aos 23 pontos antes da paralisação para a Copa do Mundo.

O tentara compensar agora, com uma vitória diante do Fortaleza, na capital cearense, no próximo sábado, pela 10ª rodada. Já o Furacão conseguiu o seu primeiro empate no Brasileirão. O Atlético passou a somar 10 pontos em 27 disputados.

O Rubro-negro pega o Palmeiras, que faz campanha ruim no certame, na Arena da Baixada, no próximo domingo, às 16h, quando tentará terminar com vitória a sua participação na primeira fase do Brasileirão antes da parada para o Mundial.

Cruzeiro e Atlético-PR entraram no Mineirão com o mesmo sistema de jogo: o 3-5-2. No caso do time mineiro, por necessidade, já que PC Gusmão não pôde contar com o volante Martinez, que fraturou a mão esquerda, e optou por escalar o zagueiro Thiago Heleno, ao lado de Edu Dracena e Luizão. Givanildo Oliveira, por sua vez, adota esse sistema no Furacão por opção tática.

O resultado disso, no primeiro tempo, foi um jogo truncado e de muita marcação, em que o gol celeste, marcado por Élber, saiu em jogada de bola parada: uma cobrança de escanteio. No segundo tempo, a partida se tornou mais ofensiva e a situação chegou a se inverter, com o time paranaense atacando, em busca do empate, e os donos da casa se defendendo.

O jogo

O primeiro tempo começou muito truncado, especialmente pelo lado do Atlético-PR, que fazia forte marcação sobre o adversário, dificultando extremamente a saída de bola do Cruzeiro. O meia Wagner, principal homem de criação da Raposa, era marcado individualmente por Alan Bahia, que o acompanhava em todos as lados do campo.

Como o Furacão só se defendia e o Cruzeiro não conseguia atacar, o resultado foi um jogo feio e muito lento. O time celeste tocava a bola, tentando encontrar o momento certo para penetrar na área adversária. A equipe paranaense, por sua vez, continuava retrancada, mas com o passar do tempo, arriscava alguns contra-ataques. Tanto que a primeira finalização a gol da partida foi do time visitante, com Jeancarlos para fora.

O Cruzeiro conseguiu concluir contra o gol de Cléber, dois minutos depois, em uma cabeçada, para fora, do zagueiro Edu Dracena. A Raposa tentava as jogadas de linha de fundo e rondava a área do Rubro-negro paranaense, mas não finalizava. Nos 45 minutos iniciais, a Raposa finalizou três vezes, contra sete do Furacão. O aproveitamento celeste, entretanto, foi melhor.

Aos 21min, Wagner fez boa jogada pela direita, passou a Michel, que cruzou para trás, na medida para Élber, que não conseguiu chutar, permitindo a recuperação da zaga. Mas o camisa 9 celeste conseguiu quebrar o jejum e marcou o seu terceiro gol no Brasileirão, aos 34min, ao aproveitar uma confusão na área do Atlético e colocar a bola nas redes. “Fiquei feliz. Procuro aproveitar as sobras e hoje deu certo”, afirmou o atacante.

O gol cruzeirense veio em bom momento, pois acalmou a torcida que viva minutos de apreensão. Aos 30min, o lateral-esquerdo Leandro, que voltou a atuar neste jogo como titular, o que não acontecia há oito meses, por causa de seguidas lesões musculares, caiu no gramado, após um chute a gol. O susto foi grande, mas ele voltou a jogar.

Aos 37min, outro Leandro, o Bonfim é que saiu contundido, para a entrada de Sandro. No final do primeiro tempo, o Atlético-PR abandonou um pouco a sua postura extremamente defensiva para atacar um pouco mais. O time visitante chegou a criar uma boa possibilidade, aos 43min, quando o colombiano Herrera, na pequena área, chutou, mas o goleiro Fábio fez uma bela defesa, evitando o empate.

O lateral-esquerdo Leandro, com dores na coxa esquerda, a mesma que o afastou tanto tempo do futebol, não voltou para o segundo tempo. Ânderson o substituiu. Já o Atlético-PR retornou com a mesma formação. Os dois times, no entanto, entraram para a etapa final mais dispostos a atacar.

O Cruzeiro, que pouco finalizou na primeira etapa, bateu a gol, logo no 1º minuto, mas o fez fraco, facilitando a defesa do goleiro Cléber. A resposta do Furacão veio aos 3min, quando Fabrício deu um chute perigoso, para fora. O time paranaense se soltou um pouco mais, embora sem se descuidar da marcação.

O resultado da maior ofensividade foi um trabalho maior para os goleiros Cléber e Fábio, em relação à etapa inicial. Aos 13min, por exemplo, o goleiro do Furacão usou a ponta dos dedos para evitar que um cruzamento de Ânderson entrasse no ângulo. No minuto seguinte, foi a vez de Dênis Marques acertar belo chute e obrigar Fábio a defesa importante.

Ao contrário dos 45min iniciais, o segundo tempo seguiu com ataques dos dois lados e chances desperdiçadas por ambos. O Furacão melhorou o seu rendimento em campo, com as entradas de Dênis Marques, e depois de Evandro, que substituiu ao zagueiro Alex. O time visitante pressionou bastante em busca do empate, e acabou premiado com um gol de Alan Bahia, que chutou de longe e Fábio falhou, aos 44min, logo após Carlinhos Bala chutar uma bola na trave.

CRUZEIRO 1 X 1 ATLÉTICO-PR

Cruzeiro

Fábio; Edu Dracena, Luizão e Thiago Heleno; Michel, Jonilson, Leandro Bomfim (Sandro), Wagner e Leandro (Ânderson); Gil e Élber (Carlinhos Bala)

Técnico: Paulo César Gusmão

Atlético-PR

Cléber, Danilo, Paulo André e Alex (Evandro); Jeancarlos, Alan Bahia, Erandir, Fabrício e Moreno; Herrera (Dênis Marques) e Ferreira

Técnico: Givanildo Oliveira

Data: 31/5/2006 (quarta-feira)

Local: Mineirão, em Belo Horizonte

Público: 16.113 pagantes

Renda: R$ 141.370

Árbitro:Antônio Hora Filho (SE)

Assistentes:Antônio da Cruz dos Santos e Edmo Oliveira Santos (SE)

Cartões amarelos: Jeancarlos, Fabrício, Moreno (Atlético-PR);

Cartões vermelhos:

Gols:Élber, aos 34min do primeiro tempo;Alan Bahia, aos 44min do segundo tempo