Ex-vice de futebol guarda ao lado do Vasco, há 25 anos, carro de acidente fatal de Dener - WSCOM

menu

Futebol

13/04/2019


Ex-vice de futebol guarda ao lado do Vasco, há 25 anos, carro de acidente fatal de Dener

Foto: Raphael Zarko

Marca de acidente que tirou a vida de um craque que desfilou em passagem relâmpago e inesquecível pelos gramados brasileiros, o carro de Dener, a Mitsubishi Eclipse branca, placa DNR 0010 – com as consoantes e o número de camisa preferido do craque na Portuguesa e no Vasco -, está guardada há 25 anos bem ao lado do estádio de São Januário.

O veículo – que Dener chamava de “pássaro” pela beleza e potência do carro – está numa garagem em frente ao complexo aquático do Vasco. O local é de propriedade do ex-vice-presidente de futebol José Luis Moreira, dono de empresa de táxi. O grande benemérito vascaíno atendeu a pedido do então diretor de futebol Roberto Dinamite, recém-aposentado, para ficar com o carro da colisão fatal na Lagoa Rodrigo de Freitas.

MORTE TRÁGICA

Dener morreu dia 19 de abril de 1994 – dois dias depois de sua última partida. O empate por 1 a 1 com o Fluminense no quadrangular final do Campeonato Carioca. Dener foi expulso com Branco naquela partida e foi para São Paulo, de carro, na folga.

– Na época, o Roberto (Dinamite) pediu para mim. Não tinha para onde mandar o carro. Me pediram para guardar lá em cima na minha empresa. Do jeito que estava continua estando – contou José Luis Moreira ao Globo Esporte.

PRESENTE

O carro de Dener foi um presente da Portuguesa de renovação de contrato. O jogador exigiu o veículo para assinar com a Lusa e voltar a treinar em 1993. A Mitsubishi Eclipse, carro raro na época no Brasil, permaneceu no Rio para perícia, por decisão judicial. Moreira guardou o veículo. E nem o Vasco nem a Portuguesa, muito menos a família de Dener quis levar o carro da garagem de Moreira.

– Na época algumas pessoas tentaram levar o carro. Mas não podia porque tinha ordem judicial e o carro estava sob minha guarda. Na verdade, virei fiel depositário desse bem – contou.

A placa na traseira do carro com as consoantes e o número da camisa de Dener — Foto: Raphael Zarko
A placa na traseira do carro com as consoantes e o número da camisa de Dener — Foto: Raphael Zarko


DEPOSITÁRIO

No depósito onde guarda o carro de Dener mora o uruguaio Julio Martins, de 64 anos, mecânico da empresa de Moreira há 35. Fã de Martin Silva, o avô tem a companhia do neto, o pequeno vascaíno Arthur Miguel, de quatro anos.

Ex-vice-presidente jurídico do Vasco, Paulo Reis lembra que o carro estava no inventário do falecido jogador, mas não houve procura para retirar a Mitsubishi do Rio de Janeiro.

– O José Luis Moreira comunicou ao juiz do inventário na época que o carro continuava guardado com ele. Mas a família nunca foi buscar o veículo – lembrou Paulo Reis, que reconheceu o corpo de Dener no local do acidente.

O ex-vice de futebol se considera obrigado a manter o carro sem mexer no veículo e ainda espera algum destino para o veículo na sua garagem há 25 anos.

– O Depósito Público do Rio chegou a ver o carro depois, mas quando viram o estado foram embora. A curiosidade para ver o carro era grande. Lembro do Jardel, novinho ainda, que ia lá em cima (a empresa de José Luis Moreira fica numa ladeira ao lado do Vasco) somente para ver o estado do carro. Mas espero que a família corra atrás para levar, se quiser. Não tem problema nenhum – disse Moreira.

Dener em seu último jogo pelo Vasco em 1994: craque faleceu em batida de carro na Lagoa Rodrigo de Freitas — Foto: Tassio Marcelo / Agência Estado
Dener em seu último jogo pelo Vasco em 1994: craque faleceu em batida de carro na Lagoa Rodrigo de Freitas — Foto: Tassio Marcelo / Agência Estado

HERANÇA

Dener deixou três filhos, Denis, Felipe e Matheus. Os três tentaram jogar futebol, mas nenhum se profissionalizou. A família se divide entre a Vila Ede, onde Dener nasceu e cresceu, e Santos, onde mora a mãe do craque, dona Vera, que sofreu AVC recentemente.

O Vasco, último clube de Dener, somente quitou a indenização em outubro de 2015. Emprestado pela Portuguesa, o Vasco, na ocasião, não fez seguro de vida para Dener.


Por Globoesporte.com