'Eu vivo o Homem-Aranha', diz mineiro que usa fantasia no dia a dia - WSCOM

menu

Entretenimento

09/07/2018


‘Eu vivo o Homem-Aranha’, diz mineiro que usa fantasia no dia a dia

Nas horas vagas, ele trabalha de porteiro e até faz bicos de entregador de pizza. Traje chega a custar R$ 1,5 mil

Foto: autor desconhecido.

Em uma casa simples de um bairro da Região Nordeste de Belo Horizonte, esconde-se um super-herói que nas horas vagas trabalha de porteiro e ainda faz bicos de entregador de pizza. Se Peter Parker ganhou poderes extraordinários depois de ser picado por uma aranha radioativa, sua versão mineira surgiu a partir da compra de um traje de segunda mão.

“Em 2015, um amigo meu estava vendendo uma roupa de Homem-Aranha, desde criança eu sempre quis, e comprei. A roupa ficou dentro de casa, tirei umas fotos, fiz umas ‘bagunças’ e guardei. No dia 12 de outubro de 2015 (Dia das Crianças), eu resolvi que ia sair pela rua vestido de Homem-Aranha. Pra quê? Eu não sei (risos)”, disse o Homem-Aranha Mineiro que pediu a nossa reportagem que preservasse sua identidade secreta.

Naquele dia, ele andou pelo bairro, foi de ônibus a um shopping da cidade e depois seguiu até o centro de Belo Horizonte vestido com o traje vermelho e azul. O sucesso foi tão grande que o Homem-Aranha Mineiro passou a circular por supermercados, casas de ração, consultórios médicos e (claro) festinhas infantis.

Em seu perfil no Instagram, o super-herói aparece em situações comuns do dia-a-dia, como trocando a fralda do filho ou comendo um hambúrguer na lanchonete do bairro.

“Eu, basicamente, vivo o Homem-Aranha. Eu vou em todos os lugares que eu preciso ir. Por exemplo, saí de uma festa de manhã e preciso passar na padaria. Eu passo na padaria vestido de Homem-Aranha. Eu passo na farmácia de Homem-Aranha”, disse o super-herói da periferia de Belo Horizonte. Mas onde será que ele guarda a carteira?

Mesmo tendo o traje como sua segunda pele, não é nada fácil usar uma roupa extremamente quente, em que você não pode comer nada, vê pouco e ainda respira com dificuldade.

“Eu falo que ela é excelente para quem quer fazer dieta, para quem quer emagrecer. Você não come, você não bebe, você sua demais. Eu não enxergo direito, eu não como. Eu praticamente só existo aqui dentro (risos)”, disse ele.

As roupas – já são três e a quarta está a caminho – podem sair por até R$ 1,5 mil cada uma. Mas como encontrar os acessórios essenciais de super-herói? “No grupo dos aranhas do whatsapp, ué? Onde mais (risos)? Tem Homem-Aranha do Brasil inteiro. Lá a gente troca informação, pesquisa preço”, disse o mineiro.

Homens-aranha de todo o país trocam experiências em grupo de Whatsapp. (Foto: Homem-Aranha Mineiro/Arquivo pessoal)Homens-aranha de todo o país trocam experiências em grupo de Whatsapp. (Foto: Homem-Aranha Mineiro/Arquivo pessoal)

Homens-aranha de todo o país trocam experiências em grupo de Whatsapp. (Foto: Homem-Aranha Mineiro/Arquivo pessoal)

O personagem Homem-Aranha, conhecido nas histórias em quadrinhos como “o amigo da vizinhança”, acabou ajudando no orçamento da casa. O “Peter Parker” de Belo Horizonte ficou três anos desempregado e as festas infantis se tornaram uma boa fonte de renda.

“Ainda em 2015 eu fui em um encontro de super-heróis e recebi uma proposta do Homem de Ferro (!) para trabalhar de Homem-Aranha para ele. Aí eu comecei a ir nas festas de crianças e, de quebra, ganhar uma graninha”, disse o super-herói.

Hoje o próprio Homem-Aranha Mineiro fecha seus contratos. Ele já chegou a fazer oito festas no mesmo dia. “Até em açougue eu já fiz evento. Capitão América (!) me chamou e eu topei. Foi bem engraçado o pessoal chegando para comprar carne pro churrasco do fim de semana e a gente lá. Muita gente voltou para casa para trazer os filhos. Foi bem legal”, contou ele.

Recentemente, o Homem-Aranha Mineiro conseguiu um emprego. “Agora tenho que equilibrar o tempo entre combater o crime e o trabalho de porteiro ”, brincou ele. Afinal, com grandes poderes vêm grandes responsabilidades.

G1

Notícias relacionadas