Espetáculo Casa do Julgamento estreia nesta quarta-feira em João Pessoa - WSCOM

menu

Entretenimento

04/07/2018


Espetáculo Casa do Julgamento estreia nesta quarta-feira em João Pessoa

Foto: autor desconhecido.

Sucesso de público há 12 anos com exposição de temáticas sobre práticas e valores da vida, da família, morais e também espirituais como espetáculo interativo e reflexivo, a edição 2018 da Casa do Julgamento será aberta nesta quarta-feira (4), às 19h, no Centro de Convenções Cidade Viva, no bairro Aeroclube, em João Pessoa, para falar sobre ‘Abuso’, como forma de promover ações e intensificar a campanha de conscientização da problemática, divulgando o número 100 do Disque Denúncia.

Pelo segundo ano consecutivo, o espetáculo, que ficará em cartaz de 4 a 14 de julho, será realizado pela parceria da Cia. de Teatro Abner e da Cidade Viva. Já assistido por mais de 100 mil pessoas, a montagem reúne novamente cerca de 400 pessoas, entre elenco e as áreas do marketing, da produção, da bilheteria, segurança e recepção e de outros voluntários da Cidade Viva.

A autoria texto do espetáculo deste ano com o tema “abuso” é do diretor teatral Aldo Galdino, do pastor e líder de jovens da Cidade Viva, Thiago Dutra, da cineasta Lúcia Magalhaes e de uma comissão de psicólogas. “A escolha do tema da Casa do Julgamento 2018 sobre ‘Abuso’, além de presente da sociedade atual, é também decorrente dos depoimentos de pessoas que assistiram a Casa do Julgamento na edição do ano passado, que tratou da temática do ‘suicídio’. Uma parcela de pessoas que assistiram declarou que muitos casos de tentativas de suicídio e do ato de suicídio eram de pessoas que haviam sofrido também abuso, daí a importância de expor a problemática de forma bem mais reflexiva e ampla no espetáculo deste ano para a sociedade paraibana”, declarou o diretor Aldo Galdino.

Horário de espetáculo – Com média inicial de nove sessões diárias durante a semana, a nova temporada da Casa do Julgamento entra em cartaz com sessões a partir das 19h (de quarta a sexta na primeira semana), das 16h até às 23h (aos sábados), podendo se estender enquanto tiver público, mas não haverá apresentação do espetáculo neste domingo, 8 de julho. Haverá ainda duas sessões com intérprete de libras nas quintas e sextas (19h e 20h) e três sessões aos sábados (17h, 18h e 20h).

Os ingressos custam R$ 15 + 1 kg de Alimento + 1 produto de higiene pessoal para cada ingresso adquirido. As doações serão revertidas para as obras sociais da Cidade Viva em João Pessoa e no Sertão paraibano. Os ingressos poderão ser comprados por meio do Sympla com 24 horas de antecedência via link https://www.sympla.com.br/casadojulgamento no valor de R$ 15 + 1 kg de Alimento + 1 produto de higiene pessoal para cada ingresso. As doações serão revertidas para as obras sociais da Cidade Viva em João Pessoa e no Sertão paraibano. Outra opção de compra de ingresso é antes do espetáculo com a bilheteria montada, no Centro de Convenções, todas as noites nos próximos dez dias.

Trazer luz sobre a temática – “O Abuso causa transtornos gigantescos à família. Mais do que ser um espetáculo, temos o objetivo de mudar essa situação trazendo luz por meio da arte”, declara o diretor da Cia Abner e do Espetáculo da Casa do Julgamento, Aldo Galdino, acrescentando que “a luz da orientação bíblica, o projeto visa apresentar que cada pessoa pode ultrapassar sua dor e viver bem. Diante de uma história impactante e realista, a plateia é desafiada a tomar decisões a cada momento com a intrigante pergunta: Como você agiria hoje se soubesse qual o seu destino após a morte?”, finaliza Aldo.

Sessões a cada 15 minutos – Para cada sessão do espetáculo, é formado um pequeno grupo de pessoas que assiste navegando pelos diversos cenários da trama com mobilidade do público. A previsão é que a cada 15 minutos inicia-se uma nova sessão, possibilitando a interatividade e exibição do espetáculo durante toda a noite. Esse grupo é acompanhado por um “Guia”, uma espécie de narrador que introduz e arremata a história antes e depois de cada cena, respectivamente. Em cada recinto, por causa da proximidade com a cena e interatividade, o público sente e vive intensamente o dilema de cada personagem; cenas empolgantes e ao mesmo tempo comoventes, que propiciam reflexão.

Notícias relacionadas