Equador e Alemanha jogam pela liderança e para evitar ingleses - WSCOM

menu

Mais Esporte

20/06/2006


Equador e Alemanha jogam pela

Equador e Alemanha se enfrentarão em Berlim nesta terça-feira num duelo que decidirá quem terminará com a primeira colocação do grupo A. Mais do que isso, definirá qual das duas seleções acabará como adversária do campeão do grupo B, que muito provavelmente será a Inglaterra.

Para a Alemanha, só uma vitória sobre o Equador evitará o choque com os ingleses. Na última vez que as seleções se enfrentaram, em 1990, Alemanha e Inglaterra terminaram empatadas em 1 a 1.

Nos pênaltis, a Alemanha venceu o embate por 4 a 3, em um dos jogos mais difíceis da seleção até o tricampeonato.

Os alemães não admitem textualmente, mas o encontro precoce com a Inglaterra não faz parte dos planos dos anfitriões. Por essa razão, os donos da casa terão força máxima contra a principal surpresa da Copa.

Nos pênaltis, a Alemanha venceu o embate por 4 a 3, em um dos jogos mais difíceis da seleção até o tricampeonato.

Se para o Equador a ameaça não é menos preocupante, os sul-americanos têm a vantagem de um empate para tirar os ingleses do caminho. Questionado sobre as prováveis adversárias de sua equipe, o técnico Luis Fernando Suárez manteve a calma. “Os dois times são iguais”, desdenhou. “Respeitamos, mas não temos medo de ninguém.”

Projeções à parte, a vitória seria essencial para a Alemanha estabelecer de uma vez que está firme no caminho ao tetracampeonato. Ganhar do Equador seria uma prova de que os problemas na defesa já foram superados e que o time tem uma vaga dentre as favoritas.

Para o técnico Jürgen Klinsmann a vitória servirá, também, para os outros. Considerada até agora uma equipe mediana, acéfala sem seu capitão, o meia Michael Ballack, a anfitriã tem a chance de mostrar que, se não tem um elenco milionário ou de craques, possui solidez e fôlego para um longo caminho no Mundial.

Raio-x da primeira fase

Olhando os retrospectos contra os mesmos adversários, no entanto, o Equador tem resultados mais convincentes. De acordo com o saldo de gols, é a anfitriã quem mais deveria temer. A Alemanha jogou a partida de abertura da Copa contra a Costa Rica, uma vitória por 4 a 2. Contra a mesma Costa Rica, o Equador venceu por 3 a 0.

Em defesa dos alemães, era o jogo de estréia do país-sede, os nervos estavam à flor da pele com a expectativa de um país inteiro pela vitória. Além disso, verdade seja dita, a seleção não contou com seu grande destaque, o capitão Michael Ballack, e sentiu o desfalque.

O Equador, por sua vez, obteve uma vitória de mais gols sobre os costarriquenhos, além de não sofrer gols.

SUÁREZ, O SONHADOR

No comando do Equador, o técnico colombiano Luis Fernando Suárez promete dar muito trabalho às seleções tradicionais da Copa do Mundo.

“Nada pode acabar com nosso sonho de sermos campeões”, afirmou o técnico. “Vamos até aonde der, mas nada vai nos impedir de sonhar. Posso dizer que eu já estou sonhando.”

“Qualquer coisa é possível. Agora que estamos nas oitavas-de-final tudo pode acontecer.”

“A exigência no país era chegarmos na segunda fase. Cumprido isso, vamos pensar em coisas maiores. Não há limites”, acrescentou Suárez, que espera continuar sonhando.

Passando a comparação ao segundo jogo, a vantagem sul-americana só aumenta.

Os equatorianos ganharam da Polônia em sua primeira partida na Copa, por 2 a 0. O nervosismo não atrapalhou. Contra a mesma Polônia, a Alemanha sofreu durante os 90 minutos e desperdiçou muitas oportunidades de gol. Só nos acréscimos, Oliver Neuville decretou a salvação dos alemães.

“Vamos até onde der. Eu ainda estou sonhando.” As declarações do técnico equatoriano Luis Fernando Suárez exprimem o pensamento dos equatorianos.

Antes desacreditada, a seleção já conseguiu uma histórica classificação às oitavas em sua breve história em Copas – este é o segundo mundial dos equatorianos. Agora, quer se valer do favoritismo alemão para bater um novo recorde.

Escalações-surpresa

Para a partida, tanto Suárez quanto Klinsmann deram de ombros sobre a escalação. Se é um jogo que não vale qualificação, disseram ambos, muitos titulares poderão ser poupados para descansar.

Não será surpresa, porém, se as seleções mantiverem sua escalação oficial. Nas palavras do próprio Klinsmann, “será a melhor equipe. É um jogo que queremos ganhar e terminar como primeiros”.

Uma das poucas certezas é o capitão do time. Mesmo pendurado por um cartão amarelo, Ballack não será poupado. Além do meia, o zagueiro Christoph Metzelder, que se recuperou de uma lesão no joelho direito, também já tem cartão. Do lado do Equador, o capitão Iván Hurtado também já tem um cartão amarelo.

Para a decisão de Klinsmann, o técnico-assistente sul-americano Armando Osma tem a resposta na ponta da língua. “Ballack é certamente um dos melhores jogadores do mundo. Mas Ballack não é a Alemanha.”

O Equador tem como suas principais armas os atacantes Agustín Delgado e Carlos Tenorio, titulares contra a Costa Rica. Tenorio está se recuperando de uma lesão no tornozelo, e pode ceder seu lugar a Ivan Kaviedes, que também marcou o seu na última partida.

EQUADOR X ALEMANHA

Data:20/06/06

Local: Berlim (Alemanha)

Árbitro: Valentin Ivanov (RUS)

Prováveis escalações:

Equador:

Cristian Mora, Ulises de la Cruz, Iván Hurtado, Edwin Tenorio, Nîicer Reasco; Geovanny Espinoza, Edison Mîndez, Segundo Castillo, Luis Valencia; Agustín Delgado, Ivan Kaviedes

Técnico: Luis Fernando Suárez.

Alemanha

Jens Lehmann, Arne Friedrich, Per Mertesacker, Christoph Metzelder, Philipp Lahm; Bernd Schneider, Torsten Frings, Bastian Schweinsteiger; Michael Ballack, Miroslav Klose e Lukas Podolski

Técnico: Jürgen Klinsmann.

*com agências internacionais

Notícias relacionadas