Emerson volta ao Flu para decidir seu futuro - WSCOM

menu

Futebol

25/04/2011


Emerson volta ao Flu para decidir futuro

Afastado

Foto: autor desconhecido.

Afastado por indisciplina desde a última quarta-feira, o atacante Emerson se reapresenta ao Fluminense nesta segunda-feira ainda com muitas indefinições sobre seu futuro. A princípio, ele deve treinar em separado na parte da manhã, nas Laranjeiras, e não participar das atividades com o grupo marcadas para as 15h (de Brasília).

Isso porque, quase simultaneamente, diretoria e representantes do atleta discutirão o que fazer com o jogador que, após série de reincidências, fez o presidente Peter Siemsen chegar ao limite ao puxar o grito do ‘Bonde do Mengão sem freio’ na véspera da decisão contra o Argentinos Juniors, pela Copa Santander Libertadores.

Internamente, a decisão ainda não foi tomada e um pedido de desculpas pode ser bem aceito pela direção. A flexibilidade da diretoria se dá por um simples motivo: a alta multa rescisória do contrato do jogador. Responsável por trazer o atacante para o Flu, o presidente da Unimed, Celso Barros, reluta em arcar com mais essa conta. Assim, o prejuízo recairia sobre os já debilitados cofres do clube.

Um dos seus empresários, Rodrigo Pitta, diz que a intenção é que o Sheik permaneça nas Laranjeiras e cumpra o seu contrato – que vai até o final de 2012. Porém, pela boa relação com o Tricolor, não descarta um acordo para um desfecho contrário, se assim a diretoria considerar melhor.

– Defenderei o que é melhor para o jogador. Ele tem contrato e pretende cumprir. Mas vamos aguardar pela reunião. Tenho uma boa relação com a diretoria e não tem nada definido – disse Pitta.

Emerson chegou ao Fluminense em julho do ano passado. Devido às seguidas lesões, atuou em apenas 20 jogos neste período. Seu aproveitamento, no entanto, foi bom: marcou nove gols (inclusive, o do título Brasileiro no fim do ano passado), que fizeram o Sheik cair nas graças da torcida.

Porém, após a suposta exaltação ao rival Flamengo, o caso de amor chegou ao fim. No desembarque da delegação tricolor na volta da Argentina, na última semana, o atacante (que retornara ao Brasil um dia antes) acabou hostilizado pela torcida que compareceu ao Aeroporto do Galeão.

Notícias relacionadas