Em sua melhor estréia, Espanha goleia a debutante Ucrânia - WSCOM

menu

Internacional

14/06/2006


Em sua melhor estréia, Espanha

A Espanha fez nesta quarta-feira a estréia mais consistente da Copa do Mundo de 2006. Com uma facilidade acima da esperada, a “Fúria” bateu a debutante Ucrânia por 4 a 0, em Leipizig, em sua maior vitória em jogos de estréia nos Mundiais.

O resultado dá uma nova esperança para que a Espanha acabe de vez com a fama de “amarelona” na Copa do Mundo. Até hoje, o melhor resultado foi o quarto lugar obtido no Brasil em 1950.

Nesta quarta-feira, o técnico da Espanha, Luis Aragonés, fez jus ao apelido de “Sábio” ao deixar o atacante Raúl, maior artilheiro da história da seleção espanhola, no banco de reservas. Com o seu jogador mais famoso entrando apenas aos 10min do segundo tempo, o time apresentou um futebol vistoso no confronto.

O atacante David Villa foi o destaque da partida, marcando dois gols de bola parada, um de falta e outro de pênalti. O jogador do Valencia comprova na Alemanha a excelente fase que vive na temporada, uma vez que foi vice-artilheiro do Campeonato Espanhol, atrás apenas do camaronense Samuel Eto’o, do Barcelona.

“Estou muito feliz com os gols e, em particular, com a vitória. Nós esperamos que este seja o primeiro passo para uma boa Copa do Mundo da Espanha. Demos tudo hoje, e os torcedores se divertiram. Espero que continue assim”, disse Villa.

Já a Ucrânia, primeiro país europeu a se classificar nas eliminatórias para a Copa do Mundo, teve uma atuação lamentável em sua estréia em Mundiais. Acuado, o time viu a Espanha tocar a bola como quis, e em nenhum momento deu a impressão de que poderia complicar a vida para os adversários.

Nem mesmo o atacante Andriy Shevchenko, maior astro da equipe, conseguiu produzir boas jogadas. O atleta do Milan fez apenas uma finalização, para fora. Além disso, foi o atleta ucraniano que mais perdeu a bola, sete vezes, e o que mais ficou em impedimento, em cinco oportunidades.

Os números do jogo mostram como foi amplo o domínio espanhol. A Ucrânia conseguiu sete finalizações, sendo apenas três certas. Já a Espanha chutou 22 vezes a gol, sendo dez certas.

A Espanha fez sua estréia com dois jogadores “estrangeiros”. O volante brasileiro Marcos Senna e o lateral-esquerdo argentino Pernía, ambos naturalizados espanhóis, estrearam em Mundiais com atuações convincentes.

A vitória desta quarta-feira dá ânimo ao time espanhol superar a síndrome de “amarelar” na Copa do Mundo. Na primeira fase, a equipe enfrentará ainda Tunísia e Arábia Saudita, duas adversárias consideradas mais fracas que a Ucrânia.

O domínio espanhol no jogo foi imposto desde o primeiro minuto. Aos 3min, Sergio Ramos foi para a linha de fundo e cruzou para trás, e Xavi bateu para fora. No minuto seguinte, a Ucrânia fez a primeira de suas duas finalizações no tempo incial, com uma cabeçada de Yezerskiy para fora.

A pressão da Espanha aumentou. E o gol não demorou a chegar. Aos 12min, Marcos Senna arriscou de fora da área, mas o goleiro Shovkovskiy colocou para escanteio. Na cobrança, Xabi Alonso aproveitou uma bobeada da defesa para, de cabeça, abrir o placar.

A Ucrânia, que já não estava bem no jogo, ficou ainda pior. E aos 17min David Villa ampliou o marcador. Em cobrança de falta, a bola desviou na barreira e enganou o goleiro Shovkovskiy.

Com a vantagem de 2 a 0, a Espanha diminuiu o ritmo. Mesmo assim, continuou levando perigo ao gol ucraniano. Já a Ucrânia, apenas aos 33min, teve uma oportunidade, em chute fraco de Gusin que foi parar nas mãos de Casillas.

No segundo tempo, o técnico da Ucrânia, Oleg Blokhin, fez duas alterações na equipe. Mas o ritmo do jogo seguiu inalterado. Logo no primeiro lance de ataque, aos 2min, Vaschuk derrubou Fernando Torres dentro da área. Pênalti marcado e expulsão do jogador da Ucrânia.

Na cobrança do primeiro pênalti nesta Copa, David Villa bateu forte no canto direito, fazendo o seu segundo gol na partida. O espanhol é, ao lado do alemão Klose, do australiano Cahill, do tcheco Rosicky, do mexicano Bravo e do costa-riquenho Wanchope, um dos artilheiros da Copa do Mundo.

O gol acabou de vez com as chances de reação da Ucrânia na partida. Voronin e Rebrov ainda tiveram boas chances para descontar, mas chutaram para fora.

A Espanha também teve chance de marcar. Aos 6min, Shovkovskiy salvou o que seria o terceiro gol de Villa na partida, após grande jogada de Marcos Senna. Aos 22min, Raúl, que entrou no lugar de Villa, teve uma chance de marcar de cabeça. Seis minutos depois, foi a vez de Sergio Ramos chutar para fora.

Aos 36min, saiu o gol mais bonito da partida. Após tabela com Puyol, Fernando Torres acertou um chute forte, sem chance para Shovkovskiy, decretando de vez a vitória espanhola na estréia da Copa do Mundo.

“Hoje os meus jogadores não mostraram do que são capazes. Eles não jogaram no mesmo nível que treinaram. Mas agora temos que olhar para o futuro. Ainda temos duas partidas, e o mais importante agora é colocar o time em ordem para enfrentar Tunísia e Arábia Saudita”, analisou o técnico ucraniano, Oleg Blokhin.