Em reação incrível, Palmeiras empata com São Paulo - WSCOM

menu

Mais Esporte

05/08/2005


Em reação incrível, Palmeiras empata

A torcida chegou a ficar animada, mas o São Paulo não conseguiu voltar a triunfar. Depois de estar vencendo por 3 a 0, o time dirigido por Paulo Autuori permitiu a reação do Palmeiras e cedeu o empate por 3 a 3 nesta quinta-feira, no Morumbi.

O resultado mantém a invencibilidade do técnico Emerson Leão, ex-comandante do São Paulo, no Palmeiras. Desde que chegou ao Parque Antarctica, ele disputou cinco partidas e colecionou duas vitórias e três empates.

No final, Leão ficou com saldo positivo contra seus ex-comandados. O São Paulo foi muito superior nos minutos iniciais e terminou o primeiro tempo vencendo por 3 a 1. O treinador mudou o Palmeiras e sua equipe conseguiu alcançar a igualdade.

“Entramos desligados demais e não conseguimos produzir nada no primeiro tempo. Não é que reagimos depois do intervalo. Nem entramos em campo antes do intervalo. Poderíamos ter ficado em casa assistindo TV”, disparou Leão.

Apesar da reação, contudo, o Palmeiras não consegue derrubar um tabu. O time do Parque Antarctica não consegue vencer o São Paulo desde o dia 27 de junho, quando fez 2 a 1 (na despedida de Vagner Love). Desde então, nos cinco clássicos, o clube do Morumbi acumulou quatro vitórias e um empate.

Graças ao empate desta quinta-feira, o Palmeiras chega a 22 pontos e manteve a 13ª posição do Campeonato Brasileiro, com mesmo número de pontos do 14º colocado Coritiba (que tem saldo de gols inferior).

Para o São Paulo, o placar é ainda pior. O time do Morumbi segue sem vencer depois de ter conquistado o título da Libertadores. Agora, o jejum já chega a seis partidas (três derrotas e três empates). Com isso, a equipe dirigida por Paulo Autuori chega aos 18 pontos e fica com a modesta 18ª colocação do Campeonato Brasileiro.

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo. O São Paulo recebe o Goiás, às 18h10, no Morumbi. O Palmeiras entra em campo mais cedo, às 16h, para encarar o Juventude em Caxias do Sul.

O jogo

Apesar de atuarem no mesmo sistema tático (o 3-5-2), as duas equipes foram muito diferentes no confronto desta quinta-feira. Enquanto o Palmeiras apostou em uma postura conservadora e em poucas jogadas de linha de fundo, o São Paulo teve a passagem dos alas como principal arma desde o início.

Foi assim, sobretudo, quando Souza apareceu na diagonal e se tornou mais um homem no meio-campo. O único problema é que, com mais volume de jogo, o São Paulo limitou seu poder ofensivo a cruzamentos para a área adversária.

De tanto insistir, o São Paulo usou um cruzamento para abrir o placar. Aos 33min, Souza levantou da direita e a zaga do Palmeiras não conseguiu cortar. A sobra ficou para Amoroso, dentro da área, e o camisa 37 bateu com o pé direito para vencer Sérgio e marcar seu primeiro gol no Campeonato Brasileiro 2005.

Se um gol já era bom, a vantagem do São Paulo se tornou ainda melhor aos 35min. Souza arrancou em contra-golpe pelo meio. Leonardo Silva tentou desarmar e a bola sobrou na esquerda para Amoroso. O atacante chutou colocado, cruzado, e ampliou.

Estava fácil. Prova disso é que, aos 42min, o São Paulo conseguiu chegar ao terceiro gol. Gamarra tentou cortar uma bola de cabeça dentro do grande círculo e foi enganado quando ela bateu no chão. A sobra ficou com Danilo, que conduziu e tocou de pé esquerdo, no canto direito rasteiro de Sérgio.

Depois do terceiro gol do São Paulo, o Palmeiras resolveu acordar. Pela primeira vez desde o início do confronto, o time do Parque Antarctica cresceu e passou a dominar o confronto. E neste momento, chegou ao primeiro gol. Baiano recebeu cruzamento da direita e tocou de cabeça. Marcinho chutou, a bola bateu em Lugano, voltou no corpo de Marcinho e entrou.

“Criamos mais na primeira etapa. Conseguimos ser mais eficientes no meio-campo e dominamos a maior parte do jogo. Por isso, acho que a vantagem foi mais do que justa”, analisou o lateral-esquerdo Júnior durante o intervalo.

O problema é que, no segundo tempo, o São Paulo não soube utilizar a vantagem. Desarrumado, o Palmeiras se lançou ao ataque. E o time da casa, ao invés de contra-golpear, resolveu se concentrar em seu campo e manter o placar.

Quando isso aconteceu, o Palmeiras aproveitou. Reinaldo aproveitou o cansaço do lateral-esquerdo Júnior e lançou a bola nas costas do camisa 6. Warley cruzou de primeira e encontrou Gioino na área. O centroavante dominou e chutou rasteiro, no canto esquerdo de Rogério Ceni.

A situação do São Paulo, que era ruim, ficou ainda pior aos 43min. Warley recebeu lançamento longo na direita, Rogério Ceni saiu muito mal do gol e o centroavante tocou de cobertura para empatar e dar números finais ao confronto.

SÃO PAULO

Rogério Ceni; Alex, Fabão e Diego Lugano; Souza (Hernanes), Mineiro, Josué, Richarlyson, Danilo e Júnior; Amoroso (Roger)

Técnico: Paulo Autuori

PALMEIRAS

Sérgio; Leonardo Silva, Gamarra e Daniel (Warley); Baiano (Correa), Marcinho Guerreiro, Reinaldo, Pedrinho (Juninho) e Fabiano; Marcinho e Gioino

Técnico: Emerson Leão

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

Árbitro: Cleber Welington Abade (SP)

Auxiliares: Marinaldo Silvério e Everson Luis Luquesi (SP)

Cartões amarelos: Marcinho Guerreiro (P), Rogério Ceni (S), Daniel (P), Fabão (S), Reinaldo (P), Júnior (S)

Cartões vermelhos:

Gols: Amoroso, aos 33min e aos 35min, Danilo, aos 42min, Marcinho, aos 48min do primeiro tempo; Gioino, aos 37min, Warley, aos 43min do segundo tempo

Notícias relacionadas