Em abril, Interatos traz espetáculos de teatro e dança e roda de diálogo sobre circo - WSCOM

menu

Artes

04/04/2018


Em abril, Interatos traz espetáculos de teatro e dança e roda de diálogo sobre circo

A primeira atividade é gratuita e acontece no sábado, às 16h, no Circo das Estrelas, localizado no Bairro José Américo (em frente A&C), em João Pessoa

A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) realiza nestes sábado e domingo (7 e 8) mais uma edição do projeto ‘Interatos – mostra e formação permanente de teatro, dança e circo’. A programação deste mês traz espetáculos de dança e teatro além de um debate sobre circo.

A primeira atividade é gratuita e acontece no sábado, às 16h, no Circo das Estrelas, localizado no Bairro José Américo (em frente A&C), em João Pessoa. Trata-se de uma roda de conversa intitulada ‘Diálogos sobre o Modo de fazer na cena contemporânea circense’. Os convidados são Maria Jocelia Fernandes (PB), Rodrigo Soares da Silva (Palhaço Ditinho) (PB), Zezo Oliveira (PE) e Williams Sant’anna (PE).

Ainda no sábado, às 20h, o palco do Theatro Santa Roza recebe a Paralelo Cia. de Dança com os espetáculos ‘Tieta’, com Joyce Barbosa; ‘Fractal’, com Lília Maranhão e ‘Horizonteabismo’, com Débora Reges e Mylla Maggi. A entrada custa R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia entrada).

No domingo (8), serão apresentados dois espetáculos em diferentes locais. Às 17h, o grupo Arretado Produções Artísticas se apresenta no jardim do Teatro Santa Catarina, em Cabedelo, com a peça ‘Fuzuê no Galinheiro – Um Conto de Páscoa’. O acesso é gratuito. Mais tarde, às 20h, o grupo Os Cogitadores apresenta ‘Berço Esplêndido’ no porão do Theatro Santa Roza. O ingresso custa R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia entrada).

Parceria com a PBGás – A Companhia Paraibana de Gás (PBGás), junto com a Brastex e a Fundação Espaço Cultural da Paraíba são parceiras na realização do projeto Interatos, colocando a cidade de João Pessoa no roteiro das principais produções de teatro, dança e circo do país. Brastex junto com a PBGás.

Desde o ano passado, foi assinado contrato de patrocínio entre a PBGás e a Funesc para a realização do projeto Interatos, que promove atividades permanentes entre os meses de março a dezembro, sempre no primeiro fim de semana do mês, com espetáculos cênicos do Brasil e da Paraíba.

Dentro do projeto Interatos serão desenvolvidos, ao longo do ano, atividades de formação e espetáculos de teatro, circo e dança patrocinado pelo Boticário e a PBGás, por meio de incentivo da da Lei Rouanet, do Ministério da Cultura. O evento conta, ainda, com apoio da Rádio Tabajara, Hotel Ambassador e tem parceria com o Grupo Lavoura de Teatro.

Patrocínio de O Boticário – O patrocínio de O Boticário é resultado de um edital nacional da empresa. O Interatos teve projeto aprovado no ‘O Boticário na Dança’, um programa de patrocínios a projetos culturais voltado exclusivamente para a área da dança.

‘O Boticário na Dança’ é estruturado com a finalidade de contribuir para a preservação, a valorização e o acesso à dança e às suas diversas manifestações; fortalecer a produção cultural de grupos, criadores e artistas; e estimular a formação de público e talentos para a área.

Os apoios são direcionados a festivais, mostras, espetáculos, manutenção de companhias, circulação, produção de vídeos, livros e periódicos, sites, cursos, workshops, oficinas, palestras, fóruns, exposição fotográfica e exibição de vídeos e filmes.

Interatos – Realizado pela Fundação Espaço Cultural da Paraíba, o ‘Interatos – Mostra e Formação Permanente de Dança’ promove mensalmente apresentações e atividades formativas (oficinas, cursos, debates, rodas de conversa, seminários) com artistas paraibanos, nacionais e internacionais.

Sob gerência de Ângela Navarro, o setor de Dança tem programação regular nos equipamentos da Fundação Espaço Cultural José Lins do Rego (Funesc), complexo cultural com uma das maiores áreas construídas na América Latina, lugar central e seguro que possui entre seus equipamentos uma escola de dança, com cerca de 500 alunos. Já a parte de Teatro tem coordenação de Suzy Lopes e mantém um curso anual de formação, além de oficinas e montagens teatrais. A gerência de circo tem à frente Diocélio Barbosa e conta com a Escola Livre de Circo Djalma Buranhêm, onde são realizados cursos de formação regulares e atividades lúdico-educativas para jovens, adultos, crianças e bebês.

Sinopses:

Diálogos sobre o modo de fazer na cena Contemporânea Circense – Convidados: Maria Jocelia Fernandes (PB), Rodrigo Soares da Silva (Palhaço Ditinho) (PB), Zezo Oliveira (PE), Williams Sant’anna (PE). A roda de conversa será mediada por Diocélio Barbosa (PB). O espaço de diálogo criado no Interatos vem estrear uma nova versão do projeto. Nesta edição o projeto ocupa um picadeiro de um circo itinerante “O Circo das Estrelas”. O diálogo seguirá composto por gestores, produtores, artistas e donos de circo. Abordará questões como: processo criativos dos circo na atualidade, seus desafios, logística, gestão, mas também sobre estética e relação com o público, e a diversidade da cadeia produtiva do circo com os Itinerantes, trupes, grupos, escolas, projetos sociais, artistas independentes e pesquisadores.

Berço Esplêndido – A peça retrata a história de uma família humilde que passa por diversas dificuldades. Apresenta de forma clara como a marginalidade e o subdesenvolvimento do nosso país prejudicaram a grande parte das famílias operárias. Assim, através dos personagens, essa realidade pode ser observada a partir do jogo proposto pelos atores. Ficha técnica – Direção Geral: Aline Alencar | Dramaturgia: Carlos Carvalho | Orientadora de Pesquisa Conceitual: Patricia Zuppi | Elenco: Alison Bernardes, Aline Alencar, Matheus Leonel e Pablo Rivero | Cenário, Figurinos e Adereços: Aline Alencar/Os Cogitadores | Produção: Os Cogitadores | Orientação Musical: Daniel Verlota e Melchior Alexandre | Criação de trilha sonora original: Os Cogitadores/ Aline Alencar | Criação de Luz: Lawrence Garcia/ Aline Alencar | Operação de Luz: Cia Os Cogitadores.

Fuzuê No Galinheiro – Um Conto de Páscoa – É uma adaptação da obra Fuzuê no Galinheiro das pedagogas Angiolina Bragança e Isabella Carpaneda, por Nelson Alexandre, que também assina a direção, montado pelo Grupo Arretado Produções Artísticas, em 2004, este ano completa 14 anos de existência, de festividades pascoais, em escolas e teatros para temporadas e ou apresentações, onde mostramos a trama que acontece no Sítio Primavera, de indignação das galinhas Polaca, Carijó, Caipira, Legorne e Dangola, ao verem um coelho no jornal fazendo propaganda de ovos de páscoa, como coelho não bota ovos, elas reunidas resolvem entrar em greve prejudicando assim toda produção de quitutes e ovos de páscoa de D. Filó, empregada do sítio.  O espetáculo inicia-se com os atores descaracterizados, conversando sobre o verdadeiro sentido da Páscoa e seus Símbolos entre público e próprios atores, é um momento de interatividade, momento pedagógico do espetáculo, ao mesmo tempo, inicia-se a transformação dos atores em personagens gradativamente.

O espetáculo conta com músicas bastante alegres e engraçadas, mostrando em suas letras as reivindicações de todos os personagens da trama: – “Estamos vivendo um drama, nós botamos ovos e o coelho leva fama” (Galinhas), – “Acho que essas galinhas ficaram lelés da cuca” (Galo)… Como marca do grupo, a encenação conta com cenas utilizando o trabalho de ator e bonecos ao mesmo tempo, transformando o espetáculo em um mundo lúdico e se aproximando o máximo das formas com um cenário e figurinos bem coloridos. Elenco: Katherine Menezes, Maronilton Henrique, Neide Melo, Aymê Vasconcelos, Sanzia Márcia. Técnica: Geóstenys Melo, Edvania Maria, Carla Costa, Edson Silva, Adonias Santos, Sanzia Márcia e Nelson Alexandre.

Horizonteabismo – Poesia-corpo com Débora Reges e Mylla Maggi. O ímpeto de criação de Horizonteabismo se deu a partir de duas palavras: chama e abismo. Através de pesquisas teóricas e práticas, investigou-se os campos sensoriais e imagéticos que estas palavras faziam acessar com movimentos, especialmente em processos de contato improvisação. Desenvolveu-se procedimentos que partem da ideia do que se aproxima e do que se afasta, pensando sempre em pontos de referência como espaços de diálogo do/para/com corpo. Como aporte teórico utilizou-se o livro Fazer-dizer do corpo (2008), da professora da graduação e pós em dança, da UFBA, Jussara Setenta, onde se encontra congruências com a subjetividade das duas palavras supramencionadas, assim como com o nome do trabalho, poesia “4 poemas em branco”, extraída do livro POHERESIA, de Expedito Ferraz Jr. Ficha Técnica – Moventes: Débora Reges e Mylla Maggi | Dramaturgia: Joyce Barbosa | Coordenação de Produção: Paralelo Cia de Dança | Produção: Paralelo Cia de Dança | Plano e execução de luz: Fabiano Diniz | Aportes teóricos: O fazer-dizer do corpo (SOBREIRA, Jussara. 2008), POHERESIA (FERRAZ, Expedito. 2015).

Tieta – Solo de Joyce Barbosa – Parte da relação intrínseca entre “mudança” e “tempo”, questionando a vitalidade enquanto ausência da precariedade e construção do virtuosismo e preciosismo como instância do corpo que dança. Duração: 12 minutos. Classificação: 12 anos. Ficha Técnica – Coreografia: Joyce Barbosa | Produção: Paralelo Cia de Dança | Design e execução de luz: Fabiano Diniz | Figurino: Maria José Rodrigues.

Fractal –  Consiste em um solo de dança contemporânea, que se apoia basicamente na ideie de criar uma movimentação fragmentada, interrompida, através de padrões recorrentes.  Em termos metafóricos, o que se pretende é, primeiramente, reconhecer uma linguagem de corpo particular da intérprete, que tem relação com suas próprias vivências em dança, em seguida desconstruir esta linguagem através de fórmulas de repetição mecanizadas, cujas variações distinguem-se pelas suas intensidades. A proposta artística também questiona o modo do fazer artístico e do produzir conhecimento e políticas em dança nos parâmetros da nossa cidade. Há uma tentativa de romper com o movimento tido como belo e virtuoso, na medida em que a concepção coreográfica não se preocupa com isso, ao instaurar regras simples a partir das quais surge o movimento, que ganha potencial quando explorado através de padrões de repetição irregulares, provocando a sensação de interrupção ou quebra do movimento. “Fractal” estima ser ou tornar-se um grande fragmento coreográfico, reflexo da dança que a artista quer e pode desenvolver no momento presente.

Interatos edição de abril

07/04

16h: Roda de conversa “Diálogos sobre o Modo de fazer na cena contemporânea circense”

Com: Maria Jocelia Fernandes (PB), Rodrigo Soares da Silva (Palhaço Ditinho) (PB), Zezo Oliveira (PE), Williams Sant’anna (PE)

Local: Circo das Estrelas (Av. Hilton Souto Maior, em frente à A&C, José Américo, João Pessoa, PB

20h: Espetáculos: Tieta, com Joyce Barbosa / Fractal, com Lília Maranhão / Horizonteabismo, com Débora Reges e Mylla Maggi

Grupo: Paralelo Cia. de Dança

Local: Theatro Santa Roza

Entrada: R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia entrada)

08/04

17h: Espetáculo Fuzuê no Galinheiro – Um Conto de Páscoa

Grupo: Arretado Produções Artísticas

Local: Jardim do Teatro Santa Catarina, Cabedelo, PB

Entrada: Gratuita

20h: Espetáculo Berço Esplêndido

Grupo: Os Cogitadores

Local: Porão do Theatro Santa Roza, Centro

Entrada: R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia entrada)

Notícias relacionadas